Yashuda e Tenente Santana participam de homenagem ao 86º aniversário da Revolução de 32

Yashuda e Tenente Santana participam dehomenagem ao 86º aniversário da Revolução de 32
Entre as autoridades presentes, o vice-prefeito Damiano Barbieri Neto  

  7:50 |Assessoria de Imprensa | 2018JUL11  | Foto: © Câmara Municipal de Araraquara

O presidente da Câmara de Araraquara, Jéferson Yashuda Farmacêutico (PSDB), e o vice-presidente, Tenente Santana (PMDB), participaram nessa segunda-feira, feriado de 9 de Julho, de ato cívico realizado no “Balão do Soldado Constitucionalista, na Avenida Bento de Abreu, na Fonte Luminosa. Organizado pelo Núcleo MMDC –“ Heróis de Araraquara”, sob a presidência do Tenente Coronel PM, Adalberto José Ferreira, Comandante do 13º Batalhão  de Polícia Militar do Interior, o evento resgata a memória dos ideais constitucionalistas de 1932. Yashuda destacou a importância do cerimônia. “Parabenizo os organizadores deste Ato Cívico, que mantém viva a memória do mais importante movimento dos paulistas em defesa da liberdade da Constituição”, disse.

Entre as autoridades presentes, o vice-prefeito Damiano Barbieri Neto; o Secretário municipal de Cooperação dos Assuntos de Segurança, Coronel João Alberto Nogueira Júnior; o secretário municipal da Fazenda Donizete Simioni;  o Comandante do 13º BPMI, coronel Adalberto José Ferreira; o Comandante do 33º BPMI/Barretos, Tenente Coronel Paulo Henrique Jurisato; o Comandante do TG-02-002, subtenente Cleitor de Almeida Paiva;  o Instrutor do TG-02-002, 1º sargento Oseias Guedes da Silva;  e o Delegado Militar de Araraquara, tenente César Ricardo Velasques Trindade.

Na oportunidade, foram homenageadas personalidades civis e militares com a outorga da Medalha Constitucionalista e Dráusio Marcondes de Souza.

Foram homenageados com a Medalha Constitucionalista o Tenente Coronel Paulo Henrique Jurissato; o Capitão Richard Severino Souza; o Capitão Fernando Marino Porto; o Capitão Ricardo Domingos Júnior; o Capitão Ricardo Costa Curta Filho; o Capitão Flávio Mira D’arbo; o Capitão André Luiz Hannickel; a Capitão Esther Sewastjanow Silva Santos; Capitão Marlon de Assis Magro; o 1º Tenente Adilson José Gardim; o 1º Tenente Luiz Augusto Alves Tavares; o 1º Sargento Paulo Casar Machado Ferraz; o 2º Sargento Marcelo Antonio Galbiatti; o 2º Sargento Mauro Ferreira Zanin; 3º Sargento Fábio Augusto Campos; o Cabo Ademilson Donizeti Pierina; o Cabo Flávio Luiz Ramos Giannini, o Cabo João Nivaldo Graças Leppos; o Cabo Marcelo Marconato e o Soldado Luiz Carlos Gouveia da Silva.

Também foram agraciados com a Medalha Constitucionalista: Antonio Cláudio Falchi, Prefeito Municipal de Cândido Rodrigues; Osmar Inoscêncio da Costa, Presidente do Conseg de Matão; Donizete Simioni, Secretário Municipal da Fazenda do município de Araraquara; Lucas Henrique Pinheiro e o empresário e diretor do MMDC de Araraquara, Fernando Cesar Sedenho.

Receberam a Medalha Dráuzio Marcondes de Souza, o Major PM Luis Roberto Moreira Filho; o Subtenente Antonio Marcos de Camargo e o 2º Tenente PM Eudes Abrahão da Silva.

Memória

O MMDC “Heróis de Araraquara” foi fundado oficialmente em 29 de novembro de 2016 nas dependências do 13º Batalhão da Polícia Militar do Estado de São Paulo, com a presença do ilustríssimo Cel. Ventura, presidente da Sociedade Veteranos de 32 MMDC.

Criado para perpetuar a memória dos grandes eventos que movimentaram o estado de São Paulo e o Brasil naqueles dias, o organismo é uma justa homenagem à abnegação, coragem e desprendimento dos araraquarenses da época que se uniram pela causa do Brasil.

Na Revolução Constitucionalista de 1932 a população de São Paulo (civis e militares) se levantou em armas para derrubar a ditadura e constitucionalizar o País.

Araraquara teve grande participação no movimento, enviando, entre civis e militares, 541 voluntários para os campos de batalha. Seis deles morreram em combate, e dois depois do conflito, já em Araraquara, em decorrência dos ferimentos recebidos. Seus nomes estão eternizados no Monumento ao Soldado Constitucionalista localizado na 1ª Rotatória da Avenida Bento de Abreu, local onde se deu a cerimônia.

Inaugurado em 9 de julho de 1934 na Avenida principal do Cemitério São Bento, o Monumento já foi um Mausoléu e abrigou por décadas os despojos dos heróis araraquarenses que tombaram no conflito.

No ano de 1972, quando do grande evento em comemoração aos 40 anos da Revolução de 32, os restos dos araraquarenses foram levados para São Paulo, onde eternamente descansarão no Obelisco do Ibirapuera, ao lado dos demais combatentes paulistas que tombaram pela causa.

Em seguida, a Prefeitura de Araraquara transferiu o Mausoléu para a Avenida Bento de Abreu, inaugurando o Monumento ao Soldado Constitucionalista com o intuito de eternizar a saga daquela geração de araraquarenses.

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor - Câmera -

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor - Câmera -

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *