Noite de emoção com os prêmios Zumbi dos Palmares e Laphayette Alves

Noite de emoção com os prêmios Zumbi dos Palmares e Laphayette Alves
Definido pela maioria dos integrantes do Conselho Municipal de Combate à Discriminação e ao Racismo de

18NOV2016| 8:49
Imprensa CAM

A noite de 17 de novembro foi de homenagens na Câmara Municipal, com os prêmios Zumbi dos Palmares e Laphayette Alves, dentro das celebrações do Dia Nacional da Consciência Negra, a ser comemorado em 20 de novembro.

Definido pela maioria dos integrantes do Conselho Municipal de Combate à Discriminação e ao Racismo de Araraquara (COMCEDIR), o Prêmio Zumbi dos Palmares, instituído em 2004, tem o objetivo de reconhecer e valorizar o trabalho de pessoas e entidades que lutam pela defesa dos direitos dos negros e negras e pelo combate ao racismo e preconceito étnico-racial, além de incentivar ações da sociedade civil em defesa dos direitos humanos e pela igualdade racial. Nesta 12ª edição, o prêmio foi dedicado a André Luis Braz. Aristides Braz, pai do músico, recebeu a honraria.

Já o 2º Prêmio Laphayette Alves, indicado pela Comissão de Promoção da Igualdade Racial da OAB Araraquara, homenageou a advogada Dra. Rita de Cássia Corrêa Ferreira, representada por sua mãe Marina Corrêa Ferreira e por sua irmã Luciene Corrêa, que descreveu Rita como uma pessoa obstinada e destemida.

A mesa foi composta pelo vereador e presidente da Câmara Elias Chediek (PMDB), pelo prefeito municipal Marcelo Barbieri (PMDB), pela coordenadora do Centro de Referência Afro “Mestre Jorge” Alessandra de Cássia Laurindo e pela presidente do COMCEDIR Nayara Costa, representando a OAB Araraquara.

Mesmo tomada pelas emoções, Alessandra Laurindo conseguiu proferir algumas palavras. “Em todos os momentos, o André lutou pelo melhor. A ACAAAR (Associação Cultural Afrodescendente dos Amigos de Araraquara e Região) é fruto do trabalho dele. Ele é merecedor, assim como a Dra. Rita. A batalha dela segue em cada uma de nós que convivemos com ela”.

“A indicação do André foi uma surpresa, mas uma decisão unânime, muito merecida pelo trabalho que ele conseguiu desenvolver na ACAAAR. A Dra. Rita tornou-se uma referência na OAB, principalmente para as mulheres negras advogadas de Araraquara. Sempre esteve disposta a nos ajudar”, afirmou Nayara Costa.

“Uma homenagem mais do que justa à Dra. Rita e ao André, que sempre lutaram pela comunidade, apesar de todas as dificuldades”, pontuou o presidente do Legislativo Elias Chediek.

O prefeito Marcelo Barbieri (PMDB) destacou o trabalho realizado pela Secretaria de Direitos Humanos e da Participação Popular e a importância dos homenageados. “Eles deixaram uma marca profunda na nossa comunidade. O André foi uma grande figura na luta dos afrodescendentes da nossa cidade. A Rita era uma pessoa determinada e animada, possuía uma energia contagiante. A história da OAB na questão racial passa por ela”, completou.

O evento contou, ainda, com a presença da Cabo PM Eliana Xavier, representando o Comandante do 13º Batalhão da Polícia Militar do Interior (BPMI) Ziul Martins Rodrigues, do secretário de Direitos Humanos e da Participação Popular Fernando César Câmara – Galo, representando o vereador licenciado Adilson Vital (PV), do vereador eleito Toninho do Mel (PT), representando a deputada estadual Márcia Lia, e da presidente do Conselho dos Direitos da Mulher Regina Chediek.

Os homenageados

André Luis Braz

Músico, foi mestre de bateria, tendo compartilhado sua experiência com as escolas de samba de Araraquara por mais de 20 anos. Foi fundador e idealizador da ACAAAR, sempre com o objetivo de fortalecer os laços da comunidade negra, bem como valorizar a cultura afro.

Empenhou-se para que fossem incluídas no calendário oficial de eventos do município de Araraquara, as festividades que envolvem a Comunidade do Samba ao Brilho da Luz de Vela, a Quarta Nobre, o Encontro Afrodescendente, em homenagem a “Zumbi dos Palmares”, a Copa Zumbi dos Palmares e a disputa da Meia Maratona (21 km), a serem realizados na Semana da Consciência Negra, no mês de novembro de cada ano.

Não conseguiu ver todos os seus projetos realizados – vários estão em andamento -, pois nos deixou precocemente em oito de março de 2015.

Através de seus esforços dentro da comunidade e na sociedade araraquarense, desenvolvia um trabalho que foi referência para todos e deixou uma lacuna na luta pela igualdade racial.

Dra. Rita de Cássia Corrêa Ferreira

Nasceu em Marília em maio de 1965, mas foi em Araraquara que passou grande parte da vida, advogando e militando no movimento negro e de mulheres. Presidiu a Comissão da Igualdade da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) da subseção de Araraquara entre os anos de 2009 e 2015.

Foi voluntária do SOS Racismo do Centro de Referência Afro “Mestre Jorge” e integrante do COMCEDIR e do Instituto Nacional da Tradição e Cultura Afrobrasileira (INTECAB).

Era ativista destacada do movimento negro e de mulheres e sua última participação foi como delegada da Conferência Nacional de Mulheres, realizada no final do mês de maio, em Brasília.

Dra. Rita faleceu no dia 6 de junho de 2016, e hoje na cidade existe um prêmio com seu nome que homenageará anualmente, no dia 25 de julho, as mulheres negras da cidade.

idnews-usa_portal

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *