ABATur busca programas estaduais para turismo rural

ABATur busca programas estaduais para turismo rural
Secretaria de Estado do Turismo disponibiliza projetos turísticos de interesse comunitário rural para Araraquara

06MAR2018|  8:19 – Imprensa Câmara –

Nesta segunda-feira o vereador José Carlos Porsani (PDSB) e o presidente da ABATur – Associação de Bueno de Andrada para Cultura e Turismo Rural de Araraquara, Théo Bratfisch, se reuniram na Secretaria de Estado do Turismo, para tratativas sobre a implantação de projetos turísticos para fomento do Turismo Rural no município. Participaram da agenda o coordenador de Turismo, Maurício Petiz e o diretor técnico, Vanilson Fickert, a chefe de gabinete da secretaria, Daiani Mistieri. O secretário estadual de Turismo, Fabrício Cobra Arbex, reforçou as políticas públicas estaduais para o desenvolvimento do Turismo no Estado de São Paulo, em 5 de março de 2018.

            Na ocasião, o presidente da ABATur apresentou à todos o panorama de potencialidades para a implantação de equipamentos turísticos com características estaduais em âmbito do município de Araraquara, indutores às potencialidades turísticas nas áreas rurais localmente, que viriam oferecer as condições e premissas fundamentais para se aplicar programas estaduais ao desenvolvimento socioeconômico sustentável pelo Turismo Rural, de modo regionalizado entre municípios no interior paulista, que permita fomentar excursões rodoviárias com operadoras e agências de viagens, entre roteiros e rotas turísticas municipais, onde cada município de interesse turístico apresenta o que tem de melhor no seu entono entre municípios circunvizinhos, como hospedagem, atrativos naturais turísticos e gastronomia, para se atender demanda impulsionada de visitantes e turistas, geradas com a implantação de equipamentos turísticos no interior paulista.

            Os principais equipamentos turísticos à nível estadual, indutores do Turismo em especial ao Turismo Rural em Araraquara, são, o Museu da Roça de Bueno de Andrada, em se tratando do primeiro museu regional do homem do campo e no meio rural, em parceria da ABATur de Bueno de Andrada com a Fundação Itesp – Instituto de Terras do Estado de São Paulo. A área rural estadual fica localizada em Bueno de Andrada, no assentamento rural Horto de Bueno, a cerca de 1.500m da vila urbanizada do Distrito e possui duas casas centenárias, abandonadas desde 2004 pela Prefeitura de Araraquara, e que necessitam urgentemente de reforma geral dos telhados, pintura, energia elétrica, água e serviço de jardinagem, dentre outras necessidades básicas, para abrigar na casa principal uma galeria de imagens e registros históricos dos saberes rurais, com exposição fixa de objetos rudimentares utilizados no dia a dia e na cultura agrícola no meio rural e com informações turísticas. O equipamento turístico tem por finalidade para atingir as suas funções comunitárias no meio rural, se instalar no local um centro cultural com cursos de capacitação técnica em diversas áreas do conhecimento e aprendizagem rural, para todas as idades, com foco no jovem rural. Na casa geminada, uma loja com produtos manufaturados artesanalmente e artesanato produzido regionalmente, além de um espaço gastronômico gourmet caipira. O núcleo científico e o plano diretor do Museu da Roça de Bueno de Andrada, terá fundamentação através de curso de mestrado pela UFSCAR – Universidade Federal de São Carlos e coorientação pela USP – Universidade de São Paulo de Ribeirão Preto, em andamento.

O projeto para implantação do Trem Turístico de Araraquara visa interligar a área urbana e a rural, entre a Estação Ferroviária de Araraquara e a Estação Ferroviária de Bueno de Andrada, com escala de parada no Parque Municipal do Pinheirinho (Sol e Praia).

            Os atrativos naturais locais se complementam com o patrimônio material, sendo, a Estação Ferroviária de Bueno de Andrada de 1898; Capela Sagrado Coração de Jesus de 1912-1926 e duas casas centenárias da Fazenda Horto de Bueno, e o patrimônio imaterial, relacionados são, a Festa do Padroeiro Sagrado Coração de Jesus desde 1912, saberes rurais, dança folclórica, relacionados em processo de tombamento do patrimônio histórico e cultural, junto aos órgãos de proteção através da Procuradoria da República, a serem atribuídos ao distrito de Bueno de Andrada.

            O vereador José Carlos Porsani tomou conhecimento das ações propostas pela Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo e estará colaborando no sentido de contemplar o município com programas e ações estaduais para fomentar o Turismo Rural em Araraquara.

A empresa de auditoria PricewaterhourseCoopers (PwC), a empresa Kaspersky Lab, a consultora Gartner e vários especialistas consideram o problema da cibersegurança como a maior ameaça para os negócios. As empresas estão gastando milhões de dólares para se protegerem de ataques informáticos, sobretudo os bancos. Segundo um recente relatório da PwC, o que mais preocupa os investidores em todo o mundo é a escassez de medidas de segurança informática nas empresas. Deles, 41% acreditam que os ciberataques são uma grande ameaça. A Kaspersky Lab, empresa russa de segurança cibernética, alertou que as pequenas e médias empresas sofrem 43% desses ataques cibernéticos, uma percentagem que coloca essas empresas na mira dos hackers. De acordo com um estudo da Gartner, em 2018 as empresas gastarão 96,3 bilhões de dólares (R$ 313 bilhões) para proteger-se desse tipo de ataques – um aumento de 8% em comparação com 2017. É de sublinhar que durante muito tempo os investimentos na segurança informática foram mantidos a um nível mínimo necessário para cumprir a legislação. Entretanto, nos últimos três anos tem sido observada uma tendência de investir mais na cibersegurança, explicou Mikhail Lapin, diretor de projetos da empresa Bell Integrator. + Em que período do dia você deve evitar as redes sociais? Entre os ciberataques mais graves, Lapin lembrou o roubo, no fim de janeiro, de 530 milhões de dólares [R$ 1,24 bilhões] em criptomoedas na bolsa de moedas digitais Coincheck, uma das mais importantes casas de câmbio virtuais. Todo o dinheiro no mundo Nos próximos três ou cinco anos, veremos um crescimento notável das despesas destinadas a aumentar a segurança da informação. Trata-se de um aumento entre 4% e 8% anuais, informou Lapin. Mas nem todos os problemas podem ser resolvidos através de dinheiro. Para se protegerem, as empresas terão de inculcar a cultura dos dados pessoais para evitar a divulgação de informações ou dados confidenciais a terceiros. A Gartner prevê que, até 2020, mais de 60% das corporações vão investir grandes quantidades de dinheiro em ferramentas de segurança da informação. Trata-se de evitar a perda de dados, criptografá-los e auditá-los. Agora a cifra é de 35%. Entretanto, uma das outras principais ameaças não é tanto que aumente o número de ataques informáticos e vazamento de dados, mas que aumente o custo da aplicação de medidas de segurança que não funcionam. E os especialistas insistem: sua eficácia é limitada. Por essa mesma razão, a busca de outros tipos de soluções mais baratas é algo que se torna a tarefa mais importante para as empresas privadas. Com informações do Sputnik Brasil.

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *