Associações comerciais abordam mitos e verdades sobre o Cadastro Positivo

Associações comerciais abordam mitos e verdades sobre o Cadastro Positivo

| IDNews|Brasil | Acia | Hamilton Guimarães P. Mendes

Coordenado pelo empresário José Janone Júnior, presidente da Associação Comercial e Industrial de Araraquara, encontro reuniu presidentes e dirigentes de Associações Comerciais de toda a região

IDN/Interior/Araraquara

Um representativo evento regional reuniu na última semana os principais dirigentes da Federação das Associações Comerciais Estado São Paulo (FACESP) e das Associações Comerciais da região central do estado, para discutir e atualizar informações sobre as principais medidas econômicas que impactarão fortemente a economia do país.

E um dos principais pontos abordados foi justamente o Cadastro Positivo, gerador de tantos acalorados debates e discussões que tomaram o Congresso Nacional e a imprensa brasileira nos últimos tempos.

Abordado com bastante propriedade durante o evento por Paulo Melo, diretor das Relações Institucionais e Governamentais da Serasa Experian e dirigente da Associação Nacional dos Birôs de Crédito, o Cadastro Positivo foi apresentado aos presentes como uma poderosa ferramenta tanto para os consumidores, quanto para as empresas que buscam modernizar suas metodologias de avaliação de riscos na concessão de crédito.

De acordo com Melo, o sistema pode ser um grande aliado do consumidor e de seu CPF, especialmente em tempos atribulados como o que atravessamos, já que ele funciona como um boletim escolar, que registra os pagamentos feitos no histórico de crédito da pessoa e transforma esse comportamento em nota (ou pontuação).

“Por isso, permite uma análise mais justa na hora que você pedir crédito, pois sua capacidade de pagamento também vai ser considerada. Isso pode, por exemplo, eliminar, ou tornar desnecessária a exigência do comprovante de renda durante a abertura de crédito, já que o histórico de pagamento será o principal fator a ser considerado”, explica.

Outro ponto positivo se dará no caso de o consumidor ter uma dívida em aberto no momento da compra. “O cliente poderá mostrar ao lojista que foi um imprevisto pequeno diante dos outros pagamentos que ele mantém em dia. Sem dúvida a pessoa terá mais chances de conseguir crédito, além de juros menores, financiamentos e prazos adequados ao seu perfil”, destacou o dirigente.

Juros menores

Falando sobre a possibilidade de o consumidor conseguir juros menores, Melo citou como exemplo, experiências já vividas nos países onde o Cadastro Positivo foi introduzido. “ Nesses países os juros e a inadimplência diminuíram e a facilidade na obtenção de crédito aumentou. Os juros recuam porque com maior quantidade de informações sobre o consumidor, o risco nas operações de crédito reduz e as empresas têm mais condições de oferecer taxas e parcelas adequadas ao perfil de cada consumidor”, explicou.

“O sistema vai modernizar as análises de crédito e fazer justiça ao cidadão que paga suas contas em dia. Os credores poderão avaliar o que consumidor paga e não apenas as dívidas que ele possa ter. E isso gera vantagens, porque quando for pedir crédito (cartão, financiamento, crediário etc.), a pessoa poderá ter mais chances de ser aprovada e obter melhores condições de pagamento. Os credores agora saberão quem são os bons pagadores e poderão oferecer juros mais baratos e condições diferenciadas”, destacou o presidente da ACIA, e vice-presidente da RA 18 da Federação das Associações Comerciais Estado São Paulo (FACESP), José Janone Júnior.

 

O que você precisa saber sobre o Cadastro positivo:

1 – O Cadastro Positivo pode aumentar meu score?

Sim. O Cadastro Positivo pode ajudar e, para garantir que seu score melhore ao longo do tempo, é importante que você: Pague suas contas em dia e se possível antes da data de vencimento; Mantenha suas informações cadastrais atualizadas; Evite pagar o valor mínimo dos cartões de crédito (pague o total sempre que puder); Diminua sua busca por crédito no mercado (seus pedidos de cartão ou de aumento de limite, financiamentos e cotações, etc.)

2 – O Cadastro Positivo não invade a privacidade dos dados.

O Cadastro Positivo não afeta o sigilo bancário, muito menos invade sua privacidade. Só fazem parte do Cadastro Positivo as informações do seu comportamento de pagamento, como: datas de vencimento e de pagamento de faturas ou parcelas e os valores, além dos serviços continuados (luz, água, telefonia fixa e móvel pós-paga etc.). Informações como saldo em conta corrente, extrato bancário, dados de poupança ou investimentos e detalhes de compras feitas com cartões de crédito NÃO fazem parte do Cadastro Positivo, porque estão protegidas pela Lei do Sigilo Bancário

3 – Sistema não discrimina.

Ao contrário do que se afirma, o Cadastro Positivo não levará a uma situação discriminatória. Pessoas negativadas não serão prejudicadas, pois ao participarem do Cadastro Positivo, elas poderão mostrar que pagam diversas contas em dia e que têm total capacidade de retomar o controle das suas finanças e, com este comportamento, começar a construir um histórico de pagamento que será muito benéfico.

4 – O que não tem no Cadastro Positivo?

Quando consultam o Cadastro Positivo, as empresas não podem ver: Seu salário (quanto você ganha, quando recebe, etc.); Sua aposentadoria (valor, dia do vencimento, etc.); Seu saldo bancário (quanto você tem na conta, na poupança ou em outros investimentos); Limite de cartões de crédito; Detalhes das despesas do seu cartão de crédito (onde ou o que você comprou). etc.

Importante ressaltar que nem todos podem acessar suas informações do Cadastro Positivo. O mercado pode acessar somente a pontuação de crédito (score), que será usada para avaliação de crédito ou de transações comerciais e empresariais. O seu histórico detalhado só será disponibilizado se você autorizar.

Além disso, você terá acesso à todas as informações incluídas no seu Cadastro Positivo de forma gratuita, incluindo a pontuação de crédito (score) e o histórico de pagamentos existente no banco de dados. Se precisar, também poderá solicitar a correção de informações que estão erradas nesse banco de dados, além de cancelar ou reabrir seu cadastro.

Foto: FACESP-SC-37

Legenda: Presidente da ACIA, e vice-presidente da RA 18 da Federação das Associações Comerciais Estado São Paulo (FACESP), José Janone Júnior, ao lado de dirigentes de Associações Comerciais da região central

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *