Biossensores desenvolvidos por pesquisadora do CDMF têm potencial para uso em teste diagnóstico do novo coronavírus

Biossensores desenvolvidos por pesquisadora do CDMF têm potencial para uso em teste diagnóstico do novo coronavírus

| IDNews®|Brasil | Unesp | José Angelo Santilli

Biossesores se mostram eficientes na detecção de moléculas de RNA

IDN/Interior – Araraquara

A pesquisadora Glenda Biasotto, pós – doutoranda na Universidade Estadual Paulista (Unesp) Araraquara e integrante do Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF), sob supervisão de Maria Aparecida Zaghete, professora do Instituto de Química de Araraquara (IQAr) da Unesp e coordenadora de pesquisa do CDMF, fala sobre os estudos que desenvolve na área de funcionalização biossensores para utilização em testes diagnósticos.

Em trabalhos recentes, a pesquisadora integrou dispositivos sensores com aerogéis de grafeno com nanopartículas de ouro e com nanopartículas de prata, sintetizados em parceria com a Universidade de Turim.

Os biossensores obtidos apresentaram alta sensibilidade para detecção de moléculas de RNA, indicando um grande potencial para sua utilização em testes diagnósticos para o vírus SARS-CoV-2, responsável pela pandemia de COVID – 19.

A pesquisador fala mais detalhadamente sobre as pesquisas no vídeo a seguir:

https://www.youtube.com/watch?time_continue=4&v=PrRmJ7UWIAM&feature=emb_logo

CDMF

O CDMF é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepids) apoiados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), e recebe também investimento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a partir do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia dos Materiais em Nanotecnologia (INCTMN).

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.