Buzina de trator chama atenção da Cultura em Araraquara

Buzina de trator chama atenção da Cultura em Araraquara
Presidente da ABATur requer agenda de projetos culturais e medidas protetivas ao patrimônio histórico-arquitetônico e cultural no meio rural 

06JAN2017| 7:01
Théo Bratfisch

O presidente da ABATur – Associação de Bueno de Andrada para Cultura e Turismo Rural, entidade representativa para suas finalidades estatutárias na Comarca Paulista de Araraquara, em aliança com demais entidades que representam a comunidade de trabalhadores rurais na agricultura familiar, em alto e bom som de uma buzina de trator se fez anunciar na Secretaria Municipal de Cultura junto a secretária Teresa Telarolli no Palacete da Esplanada das Rosas.

            A intervenção inusitada em tom de crítica foi motivada pela inatividade de resposta ao ofício encaminhado para a secretária de Cultura e estendido à presidente da Fundart – Fundação de Arte e Cultura, Gabriela Palombo, onde o presidente da ABATur, Théo Bratfisch, requer agenda para tratativas de projetos culturais e medidas protetivas ao patrimônio histórico-arquitetônico e cultural no meio rural no município de Araraquara, que compreende os três assentamentos rurais, Horto de Bueno, Monte Alegre e Bela Vista do Chibarro.

            O acontecimento se faz na reunião de segunda-feira (06) e aberta à população interessada, a partir das 19h, quando a nova gestão da Secretaria Municipal de Cultura realiza o primeiro encontro com representantes da sociedade civil que integram o CMCA – Conselho Municipal de Cultura de Araraquara. Esse Conselho é formado por representantes do Poder Público, representantes das Áreas Culturais e das Instituições, Associações e Serviços Culturais e trata-se de um Órgão colegiado consultivo, fiscalizador e deliberativo, vinculado à Secretaria Municipal de Cultura, com a finalidade de formular políticas públicas, promover a participação autônoma organizada de todos os segmentos da sociedade integrantes da ação cultural do município e implementar ações destinadas ao fortalecimento das atividades culturais na cidade de Araraquara.

“Nosso intuito é chamar a atenção para a exclusão cultural no meio rural onde vivem cerca de 3 mil agricultores, trabalhadores rurais distantes dos poucos e restritos pontos de cultura que ficam na área urbana”, justificou, Bratfisch, que se reserva ao direito de participar como membro no Conselho Municipal de Cultura que se formará até o mês de agosto por dois anos.

Segundo informações oficiais, para este ano, o orçamento municipal previsto para investimento em Cultura é de R$ 3.963.576,00. Na Fundart a previsão de despesas com desembolso foi calculado na ordem de R$ 790 mil e receita pouco produtiva de apenas R$ 90 mil, para o ano de 2017. A Fundart tem por objetivo, administrar o funcionamento da Fundação, bem como realizar, fomentar, gerir, ampliar e difundir projetos, ações e atividades culturais, visando a democratização da Cultura à população do município, bem como o atendimento das demandas oriundas do Programa das Oficinas Culturais Municipais e dos Teatros em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura.

De acordo com a Lei municipal que institui o Programa de Amparo à Cultura – PAC, mediante regulamento, deve ser instituído um comitê formado por integrantes do Conselho Municipal de Cultura e do Conselho de Administração da Fundart para avaliar os programas ou atividades culturais de interesse público que receberão financiamento no decorrer do ano, bem como receber as prestações de contas e avaliar seus resultados destes eventos a serem publicados no Portal da Transparência Municipal.

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *