Câncer de próstata: fatores de risco e opções de tratamento

Câncer de próstata: fatores de risco e opções de tratamento

­­­­| IDNews® |Via Notícias ao Minuto |Brasil|

Neoplasia que mais atinge homens, o câncer de próstata tem o mês de novembro dedicado à conscientização sobre seus impactos, fatores de risco e tratamento

IDN – SAÚDE

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o tumor de próstata é o mais incidente nos homens do Brasil atualmente (excetuando-se tumores de pele não melanoma) e o segundo com maior mortalidade. Por esse motivo o assunto é tema da campanha Novembro Azul, que é dedicada a conscientização sobre atenção com a saúde masculina, especialmente câncer de próstata.

“A próstata é uma glândula do sistema genital masculino cuja função é produzir o líquido prostático, o qual compõe o sêmen e ajuda a proteger e nutrir os espermatozoides”, explica o radio-oncologista do Instituto de Radioterapia São Francisco, Rafael Borges Salera. “Tal glândula está localizada abaixo da bexiga e é atravessada pela uretra, motivo pelo qual alterações na função urinária podem estar relacionadas a problemas da próstata, inclusive câncer”, diz.

Fatores de risco e diagnóstico

Segundo o médico, dentre os fatores de risco para a neoplasia de próstata, os principais são história familiar positiva, idade avançada e pele negra. “Homens a partir dos 45 anos com fatores de risco, ou 50 anos sem estes fatores, devem buscar atendimento urológico para serem avaliados por meio de entrevista e exames a fim de se rastrear o câncer de próstata”, orienta o médico.

“O diagnóstico desse tumor é feito através da biópsia guiada por exame de imagem, procedimento no qual múltiplos fragmentos da próstata são retirados por agulha e analisados ao microscópio pelo médico patologista”, comenta Rafael Salera.

Uma vez feito o diagnóstico, avalia-se os seguintes fatores para definição da gravidade da doença: valor de PSA, características da próstata percebidas ao toque retal / exame de imagem, número de fragmentos da biópsia acometidos por neoplasia e escore de Gleason (é uma pontuação dada ao tumor de próstata levando-se em consideração às características das células ao microscópio).

Tratamento

O tratamento pode ser feito com cirurgia, radioterapia, braquiterapia e terapia hormonal, de forma isolada ou em conjunto. “Muitas vezes os pacientes podem ser tratados de forma igualmente eficaz pela cirurgia, radioterapia e braquiterapia”, diz o médico. Segundo Salera, cada modalidade tem suas vantagens e potenciais efeitos colaterais, motivo pelo qual o tratamento do câncer de próstata deve ser conduzido por equipe multidisciplinar composta por profissionais médicos da urologia, radioterapia e oncologia clínica.

“Outra opção segura é a observação cuidadosa dos homens portadores de doença em estágios iniciais”, sugere o médico. “É sabido que nessas situações o tumor de próstata tem tão bom prognóstico que os pacientes podem ser acompanhados com exames rotineiros e o tratamento só é indicado caso haja sinais do avanço da doença”, afirma.

Por fim, o médico lembra que muitas vezes, nos estágios iniciais, a doença permanece indolente ao longo do tempo e o indivíduo nunca necessitará ser submetido a nenhum tipo de tratamento, sem prejuízo à qualidade de vida.

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *