Como saber se a carne do mercado está boa para consumo

Como saber se a carne do mercado está boa para consumo  
O consumidor deve ficar atento quanto à data de validade do produto e se ele atende aos requisitos mínimos de qualidade determinado pela ANVISA
17:33| 05/07/2016
Lifestyle

A carne é um dos alimentos mais presente na mesa dos brasileiros. No entanto, são necessários alguns cuidados antes de consumi-la, pois se alguma parte do processo de criação, o abate e a venda não estiver dentro das normas de qualidade, o consumidor pode ser prejudicado.
Alguns animais recebem medicamentos veterinários para combater parasitas e outras doenças que possam atacá-los e, antes do seu abatimento é necessário certificar-se que o resíduo destes medicamentos está em nível aceitável para consumo humano, ou seja, aguardar um período de “desintoxicação” ou eliminação natural destes componentes. Entretanto o tempo estimado varia de acordo com o animal e com a medicação.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil (MAPA) faz uma rigorosa inspeção nos frigoríficos para avaliar se a produção de alimentos de origem animal atende os requisitos mínimos de qualidade e assim os produtos atestados recebem o selo de aprovação do Serviço de Inspeção Federal (S.I.F), e vinculado ao Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (DIPOA), é responsável por certificar a qualidade dos produtos de origem animal.

O Labtec – laboratório autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e atendendo às mais exigentes normas internacionais – possui importante função no processo de inspeção da amostra de carne. O procedimento de inspeção realizado nos laboratórios de análises ocorre através de equipamentos que podem identificar uma parte por trilhão e que verificam se há presença de substâncias químicas potencialmente nocivas à saúde do consumidor. Estes resíduos podem ter origem de medicamentos veterinários, agrotóxicos, contaminantes ambientais (aflatoxinas) ou de contaminantes inorgânicos, como metais pesados, por exemplos. As empresas que são flagradas com produtos irregulares utilizam as análises dos laboratórios para se adequarem as exigências do mercado.

O consumidor deve ficar atento quanto à data de validade do produto e se ele atende aos requisitos mínimos de qualidade determinado pela ANVISA, caso haja alguma irregularidade deve procurar os órgãos de defesa ao consumidor. O consumo de alimentos com resíduos pode causar intoxicação alimentar.

De acordo com o portal do Ministério da Saúde, os consumidores devem ficar atentos à seleção de carnes e produtos animais:

1.- Carnes bovinas e de porco, quando frescas, são compactas, apresentam gordura branca e firme, cor vermelho-brilhante e cheiro agradável. Não compre se a carne estiver escura ou esverdeada, o cheiro for desagradável e não houver origem determinada e carimbo de inspeção do Ministério da Agricultura, denominado Serviço de Inspeção Federal (SIF).

Se a carne já estiver moída, tenha a certeza de que a origem é segura e também inspecionada (SIF). Prefira a que já se encontra em embalagem e que contenha data de validade.

2.- Frangos e aves estão bons quando a cor da pele variar do branco ao amarelo, a superfície for brilhante e firme ao tato. Verifique o carimbo de inspeção (SIF) e a validade.

3.- Peixe, camarão e mariscos estão frescos quando os olhos são arredondados, a guelra é vermelha, o cheiro é suave, a pele está brilhante e as escamas firmes. Se o consumidor apertar a carne, ela deve voltar à posição rapidamente. O camarão precisa estar com a cabeça presa ao corpo, a carapaça firme, o olho brilhante e o cheiro agradável.

4.- Miúdos (coração, fígado, rins, língua) estão bons quando a superfície é brilhante, firme ao tato e a cor é regular, sem pontos brancos. É importante também que não haja mau cheiro.

5.- Nos embutidos (salsicha, linguiça, salame, mortadela, presunto) a cor deve ser original, sem fungos ou corantes demais. Salsicha e linguiça não podem ter bolhas de ar ou apresentar líquidos. Observe se o salame não tem bolor, está escuro demais ou endurecido pela perda de água.

Para comprar produtos embalados verifique o prazo de validade e outras informações que são importantes, como ingredientes utilizados, composição nutricional, modo de conservação e de preparo. A embalagem precisa estar perfeita. Não pode estar estufada, enferrujada, amassada ou rasgada. O produto não deve estar com a cor, cheiro ou consistência alteradas. Observe se o local de armazenamento está em boas condições, se as prateleiras estão limpas, os refrigeradores e freezers ligados e em temperatura adequada.

Só compre produtos de origem animal com o selo de garantia do Serviço de Inspeção Federal (SIF), do Ministério da Agricultura. O produtor e/ou indústria devem estar identificados no rótulo, assim como o número de registro do estabelecimento. Se houver qualquer dúvida sobre o uso e conservação do produto, consulte o serviço de orientação ao cliente do local de venda e da indústria.

Os produtos congelados precisam ser conservados em temperatura de –18° C, para evitar o desenvolvimento de microrganismos e o processo de deterioração. Carnes, aves, pescados e hortaliças não devem ser congelados novamente se já tiverem sido descongeladas. É sempre importante observar o prazo de validade.

Noticias

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *