Daae prevê mais investimentos em 2019

|  IDNews| Câmara Municipal de Araraquara  | Foto: © CAM

Informação foi divulgada durante Audiência Pública de Prestação de Contas do 3º quadrimestre de 2018

             “Para 2019, o valor será maior ainda. Quase 20% do orçamento do Daae em investimentos.” Esse foi um dos anúncios feitos durante Audiência Pública de Prestação de Contas do 3º quadrimestre de 2018, realizada na noite de segunda-feira (25) no Plenário da Câmara Municipal de Araraquara e presidida pelo vereador Zé Luiz – Zé Macaco (PPS), acompanhado pelos colegas Lucas Grecco (PSB), primeiro secretário da Mesa Diretora, e Paulo Landim (PT).

            O superintendente do Departamento Autônomo de Água e Esgotos (Daae), Donizete Simioni, mostrou-se bem otimista com as ações da autarquia para o ano vindouro. Nos números apresentados, viu-se um superávit de mais de R$ 17 milhões em 2017 e de R$ 9 milhões em 2018. “Esse número deverá aumentar em 2019. É bom ficarmos com superávit, mas não adianta ter superávit e problemas para serem resolvidos. Essa é a nova dinâmica que estamos implementando.”

Simioni também falou sobre as obras em andamento. “São quatro grandes investimentos que estão bem próximos de suas conclusões, e pelo menos dois já estaremos inaugurando muito brevemente. Um deles é o poço e reservatório do Victório de Santi, que já está na fase final, e o outro são os poços e reservatórios do Selmi Dei. Do São Rafael, o poço já está perfurado e falta complementar as obras do reservatório e dos painéis de controle, pois tivemos alguns problemas no processo de licitação. Portanto, no primeiro semestre, vamos inaugurar três novos poços profundos. E estamos projetando iniciarmos e entregarmos ainda neste ano mais dois poços: das universidades, na região do Salto Grande, que tem um empreendimento grande; e na região do Parque São Paulo e Jardim Pinheiros, para abastecer aquela região. Com isso, conseguimos sanar a deficiência de água, principalmente na região norte.”

            Novidades também estão previstas para a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE). “Brevemente daremos ordem de serviço para início das obras para retirada do lodo, que é uma demanda que estava reprimida há muito tempo. Tivemos muitos problemas, inclusive com intervenção do Ministério Público, e estamos recuperando a Estação, que não está na sua capacidade total, mas tudo voltará a ser como era antes. Desde 1998, quando foi inaugurada, o lodo não é retirado das lagoas”, explicou Simioni

            A polêmica compra do Clube Estrela também foi abordada por Simioni. “Temos necessidade de ampliação dos espaços administrativos. Nossa frota é de 200 veículos e não tem um local para guardá-los, não tem uma garagem. As tubulações também estão armazenadas de forma inadequada, expostas ao tempo, inclusive foi um apontamento do Tribunal de Contas”, justificou, lembrando que o espaço para atendimento é muito limitado. “No Estrela, já iniciamos as obras. A Diretoria do Meio Ambiente também precisa de um lugar, pois no momento está no Cear. Vamos concentrar a manutenção da nossa frota no Estrela e temos, ainda, um projeto de ampliação do refeitório”, completou.

            Mais contas

            O coordenador de Mobilidade Urbana, Nilson Carneiro, apresentou os números das CTAs – Controladoria do Transporte de Araraquara e Companhia Troléibus Araraquara. Relatou que os principais gastos da Controladoria são com serviço de limpeza e que, ao longo do último quadrimestre, foram efetuados 40 serviços operacionais, sendo 17 envolvendo instalações de novas coberturas em pontos de ônibus. Sobre a Companhia, informou que o quadro de funcionários ativos foi reduzido de 13 para 9, e são apenas cinco afastados pelos INSS. Comentou também sobre as ações trabalhistas, que totalizaram pouco mais de R$ 500 mil.

            A presidente da Fundesport, Milena Pavanelli, trouxe os números da fundação. No quadrimestre, foram R$ 33,1 mil provenientes de patrocinadores nas modalidades boxe, futsal masculino e handebol masculino. Milena explicou que são 400 atletas contemplados e hoje os técnicos e monitores das modalidades são todos concursados. “Foi um ganho para os profissionais e deveremos realizar outros. Melhorou muito o esporte, deu mais segurança e valorização a eles”, detalhou. O caixa, em 31 de dezembro de 2018, terminou com saldo positivo de R$ 5.695,11.

            Quem apresentou os dados da Fundart foi a secretária municipal de Cultura, Teresa Telarolli. Ela explicou que os R$ 65 mil de “receitas diversas” se referem a patrocínios recebidos em eventos. Destacou também o calendário intenso nos meses de novembro e dezembro, e finalizou falando sobre os diversos eventos realizados em 2018, culminando em um caixa com saldo positivo de R$ 8.527,62.

            O diretor de Finanças, Daniel Dinois, apresentou os números da Câmara Municipal. Foram R$ 27,2 milhões de receitas e R$ 23,3 milhões de despesas, resultando em um caixa positivo de R$ 3,9 milhões.

            A apresentação da Prefeitura contou com a presença da secretária de Gestão e Finanças, Juliana Agatte. A administração teve uma receita de R$ 708 milhões, sendo 29,04% com tributos. O IPTU representou R$ 71 milhões (75% do previsto), enquanto o ISS, R$ 66,9 milhões (97% do previsto). Para as despesas, foram empenhados R$ 700 milhões, sendo os maiores números da Saúde (R$ 270 milhões) e da Educação (R$ 203 milhões), o que foi destacado, já que o mínimo exigido é de 15% e 25% para Saúde e Educação, respectivamente, e o índice apurado foi de 35,4% e 30,27%.

            O vereador Edio Lopes (PT) e a coordenadora das Escolinhas de Esportes do município, Roseli Gustavo, também participaram da Audiência.

Confira as fotos em https://photos.app.goo.gl/rkfg1GE6WJ5bjBj39

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *