Dirceu culpa STF por crise no sistema político-eleitoral brasileiro

Dirceu culpa STF por crise no sistema político-eleitoral brasileiro
     Judiciário também foi acusado por Dirceu de “brecar” a reforma da Previdência durante o governo Lula

10:05 |IDNews/Folhapress | 2018SET05  | 

crise que o sistema político-eleitoral atravessa atualmente se deve à atuação do Judiciário. A afirmação é do ex-ministro José Dirceu, condenado no escândalo do mensalão e na operação Lava Jato, feita durante conversa com jornalistas no lançamento do primeiro volume de sua autobiografia. O evento ocorre na noite desta terça (4), no Circo Voador, no Rio de Janeiro.

“O Supremo derrubou a cláusula de barreira. Instituiu fidelidade partidária absoluta pro Lula não fazer maioria no Senado e depois foi liberando”, disse Dirceu. “O mais grave foi a mudança de 5% para quase 30% do tempo de rádio e televisão e fundo partidário distribuído entre todos os partidos.”

Para o ministro, a mudança acabou por criar legendas de aluguel, causadoras da crise política. “Isso é de responsabilidade do STF e do STE.”

O Judiciário também foi acusado por Dirceu de “brecar” a reforma da Previdência durante o governo Lula. “Eles fizeram, junto com a Polícia Federal e os militares, um grupo de pressão dentro da Câmara.”

O ex-ministro também falou da proposta de governo do PT, caso o partido consiga eleger seu candidato à Presidência. Na última semana, ele afirmou que o partido vai pressionar para implantar um “programa radical”.

“Quando falo em radicalização, é fazer uma reforma tributária. Não estou falando da Justiça, da reforma política”, disse.

“O PT tem que dizer com todas as letras o que fará. Que a gente não cometa o mesmo erro de falar uma coisa [durante a campanha] e fazer outra”, afirmou, referindo-se à campanha de Dilma Rousseff em 2014. Com informações de Notícias ao Minuto

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.