Em um mês, Laboratório de Imunologia da Uniara realiza mais de 3500 testes rápidos para a Covid-19

Em um mês, Laboratório de Imunologia da Uniara realiza mais de 3500 testes rápidos para a Covid-19

| IDNews® |Brasil |  Assessoria de Imprensa Uniara|

Em parceria com a Secretaria de Saúde de Araraquara, as testagens tiveram início no dia 27 de maio

IDN – Interior – Araraquara

Há um mês, a Universidade de Araraquara – Uniara, por meio do Departamento de Ciências Biológicas e da Saúde – CBS, e de professores e alunos do curso de Biomedicina, iniciou uma parceria com a Secretaria de Saúde do município, por meio da secretária Eliana Honain, “para realizar um mapeamento amostral da população de Araraquara para analisar o percentual de pessoas que já desenvolveram anticorpos contra o coronavírus – Covid-19”, segundo o coordenador do curso de Fisioterapia da universidade, Carlos Roberto Grazziano.

As análises são realizadas pela graduação de Biomedicina, sob o comando de seu coordenador Orivaldo Pereira Ramos, e supervisionadas pelos docentes Andrezza Furquim da Cruz, Flávia Aparecida Resende, Miriane da Costa Gileno e Juliana da Silva Oliveira Faccio.

Segundo Ramos, entre os dias 27 de maio e 30 de junho já foram realizados mais de 3500 testes. “As amostras de sangue, coletadas nas Unidades Básicas de Saúde – UBSs por funcionários da prefeitura, são alocadas em caixas térmicas e levadas ao Laboratório de Imunologia da Uniara. Além disso, a Secretaria de Saúde fornece os kits de teste rápido para a Covid-19”, relata.

Ele conta que no dia 26 de maio, um dia antes de iniciar as testagens, realizou um curso de capacitação com os estudantes. De acordo com o coordenador, houve um número grande de alunos voluntários para ajudar nas testagens. “Quase todos da quarta série de Biomedicina se ofereceram para colaborar”, orgulha-se.

Ramos explica que a capacitação dos alunos voluntários teve como objetivo mostrar como trabalhar com as amostras que chegam ao laboratório. “Foi muito importante explicar a eles como fazer a paramentação – usar todos os Equipamentos de Proteção Individual – EPIs – e a desparamentação, pois existe uma ordem correta para colocar e retirar esses EPIs, para que não haja risco de contaminação”, ressalta ele.

“Nessa capacitação, também expliquei como iríamos proceder e como seria a rotina, onde faríamos os exames, quais laboratórios utilizaríamos e toda a tramitação – desde quando as amostras chegam, passando pelo processo de centrifugação para obtenção do soro, que é a parte líquida do sangue, depois passando pela análise até chegar ao resultado. Nesse processo do teste rápido, estamos pesquisando os anticorpos que foram desenvolvidos caso o paciente tivesse entrado em contato com o vírus – covid-19”, relata.

Ele revela que “é realizado, em média, duzentos testes por dia, número esse que pode aumentar devido a demanda, uma vez que nossa capacidade com a infraestrutura atual é de até trezentos por dia. Porém, se for necessário, há a possibilidade de ampliarmos a infraestrutura e realizar mais testes”, completa.

“Depois da realização dos testes, os alunos também ficam responsáveis pelos laudos. A Uniara disponibilizou dois laboratórios de informática para a elaboração desses laudos que, posteriormente, são enviados para a Prefeitura”, conta o coordenador.

Participação dos alunos

 

“Diante desse quadro de pandemia em que estamos vivendo, acredito que todos os profissionais de saúde ficam se questionando sobre o que podem fazer e como podem ajudar o próximo. Dessa maneira, os alunos do curso de Biomedicina, vendo outros estudantes serem convocados ao trabalho em várias regiões do país, começaram a me questionar: ‘professor Orivaldo, nós não vamos fazer nada? O que a gente pode fazer para ajudar?’. Os questionamentos forem feitos de uma maneira mais enfática até, perguntando o porquê de estudantes de medicina, farmácia e fisioterapia serem convocados e eles não. Na ocasião, expliquei que, no momento, o governo precisava de pessoas para auxiliar no tratamento, que ainda não havia sido solicitado ajuda na parte de testagens, mas que acreditaria que em breve poderia haver alguma convocação nesse sentido”, revela.

Ramos conta que “o convite da Prefeitura chegou em um momento bastante oportuno e foi recebido de maneira satisfatória e feliz por todos nós, haja vista, que já existia essa vontade dos alunos em ajudar a população”. “Essa atividade é importante para a formação dos alunos, uma vez que estão vendo de perto seus docentes e supervisores exercendo um compromisso que o profissional da saúde precisa ter com a sociedade, que atualmente passa por um momento difícil. Além disso, essa parceria é muito significativa para o curso reafirmar seu compromisso de responsabilidade social que tem na sua concepção e no seu projeto pedagógico. Quando conseguimos colocar em prática e ter oportunidade de exercer esse compromisso, estamos, de certa maneira, felizes e de acordo com aquilo que foi planejado na graduação”, finaliza o coordenador.

Informações sobre o curso de Biomedicina da Uniara estão disponíveis no endereço www.uniara.com.br ou pelo telefone 0800 55 65 88.

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *