Fraldas geriátricas e medicamentos não serão mais distribuídos no mesmo local 

Informação foi dada em resposta a Requerimento do vereador Rafael de Angeli sobre falhas na distribuição dos itens


Em dezembro, o vereador e primeiro secretário do Legislativo, Rafael de Angeli (PSDB), havia protocolado o Requerimento nº 1214/2021, pedindo informações sobre a Farmácia Central do Município.

Angeli argumentou no documento que a Farmácia “Doutora Clara Pechmann Mendonça” é importante para acesso da população a fraldas geriátricas e a medicamentos da rede pública no município.

O parlamentar continuou dizendo que, apesar da relevância do local, havia poucos funcionários trabalhando no atendimento ao público, além da falta de medicamentos, de estacionamento próprio e de variedade de dosagens, segundo relatos de munícipes.

Rafael formulou à Prefeitura questões sobre o quadro de servidores no local, a possibilidade de transferência do ponto de entrega de fraldas geriátricas para Unidades de Saúde dos bairros, para amenizar a sobrecarga; a possibilidade de ser anexado um aviso com os medicamentos indisponíveis para evitar filas, e a possibilidade de alteração em receitas para se adequarem às dosagens disponíveis.

Em resposta, a Secretaria Municipal de Saúde informou que há sete funcionários servindo no local (sendo dois farmacêuticos, dois agentes administrativos, dois auxiliares de farmácia e uma estagiária), todos aptos para o atendimento da população.

Fraldas em outro local

A Secretaria declarou também que não há estrutura nas Unidades de Saúde para que as fraldas sejam estocadas, mas que já existe um projeto para que elas passem a ser entregues em lugar diferente dos medicamentos, sem especificar se já foi definido o outro local, amenizando filas de espera.

A divulgação da lista de itens que estejam em falta não foi tida como recomendável, uma vez que é variável, e qualquer atraso na atualização acarreta, consequentemente, em informações equivocadas, atrapalhando o atendimento.

Por fim, a Secretaria argumentou que alterar receitas também não é aconselhável e não está na rotina das farmácias, já que uma quantidade significativa de idosos é atendida frequentemente, e eles podem ter dificuldades em compreender recorrentes mudanças na prescrição.

Para Angeli, se não é possível acatar as ideias indicadas, são necessárias novas estratégias. “O problema existe e a população carece urgentemente de soluções para o descontentamento do atendimento no local. Vamos acompanhar e continuar cobrando melhorias”, explica e finaliza o vereador.

| IDNews® | Brasil | Assessoria de Imprensa | Câmara Municipal de Araraquara

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.