Hábito alimentar do brasileiro tem mudado há alguns anos

Hábito alimentar do brasileiro tem mudado há alguns anos
Para docente de Nutrição da Uniara, consumo de comidas industrializadas iludem consumidor

14OUT2017 | 8:38   - Assessoria de imprensa da Uniara

“O brasileiro sempre teve uma alimentação muito saudável e equilibrada, à base do arroz e do feijão, acompanhados por uma salada”, de acordo com a professora do curso de Nutrição da Universidade de Araraquara – Uniara, Denise Bertolini Chediek. No entanto, ela comenta que o hábito tem mudado há alguns anos. “A literatura fala em dificuldades com preparo dos alimentos porque a vida vai ficando mais corrida e, conforme a pessoa se dedica menos ao preparo do alimento em casa, fica mais sujeita aos alimentos chamados ultraprocessados, industrializados. São de fácil preparo, mas iludem o consumidor, que acha que está fazendo as coisas corretamente, quando na verdade tudo que é ultraprocessado traz prejuízo muito grande à saúde. O ideal é que voltemos à base alimentar que tínhamos”, adverte.

Como dica, ela sugere, no café da manhã, sempre incluir alimentos como leite e algo com fibras, como um pão integral, e evitar alimentos processados como margarina, por exemplo. “No jantar, deve-se evitar lanches e procurar sempre um alimento que possa ser produzido em companhia de alguém. Além de a comida apresentar os nutrientes, ela proporciona a questão social: quando juntam amigos ou familiares para prepararem algo ‘de verdade’, é uma garantia de uma comida melhor na mesa e, mesmo que seja uma massa, é importante trazer um componente vegetal junto. O molho de tomate refogado caseiro, por exemplo, já é melhor do que o industrializado”, diz.

Denise menciona que uma pesquisa da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico – VIGITEL apontou que apenas 40% dos brasileiros consomem vegetais todos os dias. “Se você deixa de consumi-los, é porque está comendo muita coisa industrializada, e o prejuízo é enorme. Se conseguir se organizar, poderá sempre variar a quantidade de vegetais que come todos os dias. Também é preciso haver um consumo maior de frutas, verduras e legumes, que estão sendo ‘perdidos’ na busca pela comida rápida”, destaca.

Nesta segunda-feira, dia 16 de outubro, é celebrado o Dia Mundial da Alimentação. A docente aproveita a ocasião para lembrar que a grande preocupação, hoje, é a de aproximar o consumidor do produtor local.  “É interessante que cada um saiba de onde vem sua comida e procure se aproximar dos meios de comercialização desses produtores. É importante que volte às raízes alimentares e a encontrar alegria e prazer na elaboração de seu próprio prato. Em termos de nutrição, quanto mais você procurar o que não é pronto e o que pode desenvolver socialmente, melhor”, finaliza.

Informações sobre o curso de Nutrição da Uniara podem ser obtidas no endereço www.uniara.com.br ou pelo telefone 0800 55 65 88.

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *