Manifestação emocionada na Câmara pede aumento para piso salarial do servidor

Manifestação emocionada na Câmara pede aumento para piso salarial do servidor
Renata disse que existe um abismo entre as várias categorias de servidores municipais no tocante aos seus salários

24MAI2017| 8h45 - IMPRENSA CAM

Credenciada por um grupo de 30 cidadãos eleitores no município, Renata Pereira Barbosa, funcionária da Prefeitura de Araraquara, ocupou a Tribuna Popular da Câmara Municipal, nesta terça-feira (23), na 19ª Sessão Ordinária da atual Legislatura, para falar sobre a necessidade de uma revisão salarial.

Afirmou que, com o que foi proposto pelo Executivo – 2% em setembro e 2% em janeiro –, quatro categorias vão “passar fome”.

“Eu sou merendeira (agente social de serviços públicos) e represento aqui nesta noite também os agentes educacionais, administrativos e operacionais. Todos nós recebemos neste mês R$ 829,97 e com isso não conseguimos pagar as contas. Estamos pedindo socorro, pois não ganhamos o suficiente para viver”, argumentou emocionada e foi aplaudida pelo público.

Renata disse que existe um abismo entre as várias categorias de servidores municipais no tocante aos seus salários. Afirmou que “um aumento de 4%, 10% ou 20%, hoje, não mudaria significativamente as condições dos agentes”. O que ela sugeriu foi uma revisão no limite do piso salarial.

“Peço aos senhores vereadores que nos ajudem, para que tenhamos um salário digno. Precisamos que o menor salário na Prefeitura seja de R$ 1.300,00”.

Gastos e fiscalização

O Sindicato dos Servidores Municipais de Araraquara e Região (Sismar), representado por seu secretário de Imprensa e Formação Sindical, Marcelo dos Santos Roldan, também ocupou a Tribuna Popular para discutir a data-base dos servidores municipais. Ele informou que, embora o documento referente ao assunto tenha sido protocolado em fevereiro na Prefeitura, apenas em abril o Sindicato foi chamado para discutir o assunto. “Somente quatro reuniões depois, extraímos uma proposta da Prefeitura, de 2% de reajuste em setembro e outros 2% em janeiro. O trabalhador chegou a tal ponto que fica feliz quando sabe que vai receber a inflação. Porém, até janeiro, essa aplicação será totalmente corroída”, pontuou. “Saímos frustrados dessas discussões.”

Roldan apontou que, a exemplo de Renata Barbosa, há muitos servidores recebendo menos de R$ 1.000 por mês na Prefeitura. “Há vários gastos que, somados, poderiam representar uma economia importante para o Executivo”, observou. Ele também chamou a atenção para problemas com o Portal da Transparência, que dificultam o acesso da população às informações relativas a contratos firmados pela Prefeitura, solicitando uma maior atenção do Legislativo para a questão da fiscalização desses contratos. “Esperamos que os vereadores façam jus à sua função fiscalizadora. Estamos vivendo um momento triste na nossa política e precisamos trabalhar seriamente para reverter esse quadro”, concluiu.

Confira fotos da Sessão no site: https://flic.kr/s/aHskVB4oEh

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *