Moradores da Chácara Flora pedem atenção do Daae para problemas ambientais na região

Moradores da Chácara Flora pedem atenção do Daae para problemas ambientais na região
Reunião entre representantes da Associação de Moradores (AMAR – Flora) e autarquia foi intermediada pela vereadora Juliana Damus

25JUL2017|  7:19 - IMPRENSA CAM

Representantes da Associação dos Moradores da Chácara Flora (AMAR – Flora) reuniram-se na tarde de sexta feira (21) com a diretoria do Departamento Autônomo de Água e Esgoto (Daae) e a vereadora Juliana Damus (PP). A reunião ocorreu depois que a parlamentar pediu atenção da autarquia para o problema ambiental apontado por moradores da região da Chácara Flora.

De acordo com a advogada da AMAR, Roberta Jardim, as questões ambientais, causadas, especialmente, por descartes irregulares de lixo próximo às represas, que fazem parte da Bacia do Ribeirão das Cruzes, estão deixando os moradores preocupados. “Além do problema do descarte clandestino e constante de lixo domiciliar, entulhos, móveis, gessos, restos de poda de árvores, de animais, entre outros, há também o problema do esgoto que escorre para as represas, bem como o assoreamento”, disse.

O superintendente do Daae, Wellington Cyro de Almeida Leite, explicou que a autarquia iniciou um trabalho de limpeza na cidade, recolhendo lixos em bairros, como o Jardim Cruzeiro do Sul e o Hortênsias. A região da Chácara Flora já está no cronograma e, em breve receberá a manutenção. Segundo ele, o problema do esgoto será resolvido com a construção de galerias pluviais, quando a Prefeitura começar a asfaltar. Porém, isso só deve ocorrer no ano que vem, quando forem cumpridas as obras eleitas neste ano, pelos moradores, no orçamento participativo.

“Vamos marcar outra reunião com um grupo de pessoas, incluindo técnicos, para nos ajudar a montar um projeto sócio ambiental e trabalhar essas questões com a população, que é quem acumula lixos e faz os descartes irregulares. Eles precisam entender que tem que ser feita a separação do lixo e existirem locais apropriados para o descarte; o meio ambiente agradece”, enfatizou.

Para a vereadora Juliana Damus a reunião foi bastante produtiva. “A discussão de hoje foi importante, pois, além dos moradores terem um norte sobre as ações para melhorar a sua região, também tiveram a confirmação da boa intenção do Daae, que é trabalhar um projeto de educação sócio ambiental, onde os próprios moradores terão a oportunidade de ajudar com sugestão”, reforçou.

O diretor de Gestão Ambiental, Helton Galvão, também explicou que o problema maior é o descarte de lixo e entulhos nas áreas de preservação, especialmente naquela região. Inclusive, essa é uma outra demanda da associação, que solicitou placas informando que o local é área ambiental e que é proibido jogar lixo.

Tanto Cyro, quanto Helton, pediram para os representantes da Associação conversarem com os moradores. A ideia é que eles sejam os fiscalizadores e ajudem a instituição a punir os ‘porcalhões’ que jogarem lixo nos terrenos baldios e próximo às represas. “Inclusive, se tiverem fotos com placas de carreteiros fazendo o descarte irregular, nos passem, pois enviaremos ao Ministério Público para que multe essas pessoas”, solicitou o superintendente do Daae.

Ele explicou que o MP está acompanhando todas as ações do Daae e vai ficar em cima dessa questão do descarte irregular do lixo, que é uma prática constante de carreteiros, carroceiros e até de moradores.

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *