Operação apreende mais de duas toneladas de fios de cobre no Recife 

Operação apreende mais de duas toneladas de fios de cobre no Recife
   Durante a ação, 22 pessoas foram presas e 16 pontos de receptação dos materiais, foram fechados

7:53 |FPE |2018AGO08| 

Mais de duas toneladas de materiais em sucatas, ferros-velhos e outros pontos de receptação monitorados pela Polícia Civil foram apreendidos na Operação Sucata, deflagrada para combater o comércio ilegal de fios de cobre em localidades do Recife e Região Metropolitana. Os resultados da ação conjunta da Polícia Civil de Pernambuco com a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos e Secretaria de Defesa Social, com apoio da Anatel, Celpe e Corpo de Bombeiros, foram apresentados nesta terça-feira (7). Além da capital, as cidades de Olinda, Paulista e Jaboatão dos Guararapes estão entre as mais afetadas com a diminuição e em alguns casos, a interrupção total no fornecimento das redes de telefonia.

“Monitoramos 84 pontos, entre sucatas e depósitos de ferros-velhos. Dezesseis deles foram fechados. Desde o início da operação em julho, já registramos uma redução significativa dos furtos em alguns municípios e vamos continuar com a ação em outras localidades do Estado”, garantiu o chefe da Polícia Civil de Pernambuco, Joselito Kehrle.

Com a operação foram presos 22 suspeitos, todos indiciados por furto e receptação. A estimativa é de que mais de 100 mil pessoas, entre empresas e consumidores, tenham sido afetados pelos furtos, de acordo com o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico. “É um tipo de crime que fere interesse de milhares de pessoas e empresas, que estavam sendo tolhidas no direito de telecomunicação. Vamos interiorizar a ação para continuar coibindo delitos como esse, que tanto prejuízo traz à população”.

Depois de furtados, os fios de cobre eram vendidos a um preço médio de R$ 20. Para Antonio Guerra, delegado de combate à pirataria, boa parte das pessoas que furtam os cabos e fios são consumidores de drogas. “Íamos direto aos ferros-velhos e sucatas para identificar materiais como cabos, baterias e fios de cobre, confirmando se pertenciam às empresas. Constatada a propriedade, os donos dos locais eram presos em flagrante. O delito servia, também, para fomentar o tráfico, uma vez que com o valor arrecadado com a venda alimenta bocas de fumo”, esclareceu

Araraquara ganha espaço diferenciado de coworking Espaço Coworking Araraquara é ideal para startups, autônomos e empresas que procuram uma infraestrutura completa para realizar suas atividades No dia 8 de agosto, a Coworking Araraquara inaugura seu primeiro empreendimento na cidade. O prédio de dois andares, com mais de 300m², possui 16 estações de trabalho (mesas individuais com armário), três salas privativas, duas salas de reunião, uma sala de treinamento, ambiente externo para descanso, cozinha completa compartilhada, recepção e banheiros. "Trouxemos para Araraquara uma infraestrutura completa para oferecer aos clientes um novo conceito de escritório compartilhado, que tem como proposta a redução de custos, o aumento de produtividade e a possibilidade de fazer networking", destaca Lênin de Matos Silva, sócio administrador da empresa. O executivo explica que a ideia de investir em um espaço de coworking na cidade surgiu da própria necessidade. "Quando eu e minha sócia decidimos que queríamos diversificar nossos clientes e depois de muita procura não encontramos um escritório que se encaixasse às nossas expectativas, idealizamos o Coworking Araraquara", conta Lênin. A perspectiva com o novo negócio é atrair startups, profissionais autônomos, pequenas, médias e grandes empresas que buscam um local adequado e tranquilo para a prática de suas atividades. Entre os principais diferenciais da empresa, estão à infraestrutura planejada para um ambiente de coworking, a flexibilidade de planos e contratos, que podem ser fechados por hora, diário ou mensal, a capacidade de atender até 75 pessoas ao mesmo tempo, além de um espaço climatizado, acessível às pessoas portadoras de necessidades especiais e um local que foi construído pensando na sustentabilidade ambiental, que utiliza, por exemplo, água de chuva nos vasos sanitários e torneiras que não requerem água potável. Todos os espaços são mobiliados com mesas, cadeiras e armários. "O objetivo é que os coworkers sintam-se confortáveis para produzir e que sua única preocupação será realmente o trabalho", diz Lênin. Telefonia, internet, contas de luz e água, IPTU, limpeza, jardinagem, manutenção predial, monitoramento e sistema de alarme são obrigações dos administradores. O mercado de coworkings De acordo com o Censo Coworking Brasil, entre 2016 e 2017, houve um aumento de 114% no número de espaços de coworking no país. Para Matos Silva, esse crescimento é um reflexo direto do fluxo cada vez maior de empresas e empresários autônomos de escritórios convencionais para ambientes de coworking ao compartilharem espaços de trabalho. O Censo 2018 está para ser lançado e o setor espera outro crescimento no mercado. Para quem quiser conhecer o Coworking Araraquara, é só se dirigir a Rua Gonçalves Dias, nº 2367, no Jardim Primavera, em horário comercial. Mais informações pelo site www.coworkingararaquara.com.br.

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *