Para Daae, poucos hidrômetros e consumo excessivo causam falta de água em assentamento 

Resposta foi dada após questionamento feito pela vereadora Luna Meyer


Reclamações de interrupção no fornecimento de água são constantes entre os moradores do Assentamento Bela Vista. Há também queixas sobre a qualidade da água proveniente do Poço Bela Vista II, que abastece parte da agrovila. A situação foi relatada por moradores à vereadora Luna Meyer (PDT), que cobrou providências da Prefeitura por meio do Requerimento nº 955/2021. Em resposta, o governo municipal forneceu o número de reclamações e apontou possíveis causas para o desabastecimento, assegurando, porém, que a infraestrutura atual é suficiente para atender as edificações existentes no local.

Conforme relato dos moradores à parlamentar, constantemente há falta de água nas avenidas denominadas como 7 e 8, e na metade da rua denominada 1. Sobre isso, o Departamento Autônomo de Água e Esgotos de Araraquara (Daae) informou que, nos últimos quatro anos, foram registradas 121 reclamações de falta de água no assentamento. A autarquia também anexou a relação de todos os registros de atendimento prestados entre setembro de 2017 e outubro de 2021.

Segundo ainda os moradores, a falha no abastecimento seria provocada pela espessura inadequada da tubulação, o que é negado pelo governo municipal. “A falta de água que ocorre na Agrovila não se deve ao diâmetro das redes existentes no local e, sim, à falta de hidrometração das edificações, ao consumo excessivo e desperdícios diversos”, afirma o diretor de Planejamento da autarquia, engenheiro José Braz Scognamiglio.

Para ele, a solução para sanar eventuais faltas de água “consiste na instalação de hidrômetros em todas as edificações, escola, posto de saúde e demais próprios existentes no local, cabendo ao usuário o pagamento das tarifas de água e esgotos de acordo com o consumo verificado na sua edificação”. O Daae informa que a instalação de hidrômetros no local deve ocorrer até meados de 2022.

Sobre a qualidade da água, a autarquia reconhece que é comum o recebimento de queixas de domicílios abastecidos pelo Poço Bela Vista II. “Sempre que há alguma reclamação semelhante, uma amostra da água é coletada no domicílio em questão para a realização de análises em nosso laboratório, a fim de avaliar os principais parâmetros de potabilidade da água”. Fora isso, o Daae afirma que, mensalmente e semestralmente, realiza controle da água dos poços, seguindo a legislação vigente.

Luna afirma que faz parte de um grupo do Assentamento e diariamente acompanha os problemas dos moradores com a questão da água. “É urgente que isso seja corrigido. Essa é uma das questões que marginalizam o Assentamento, pois eles não têm tido acesso a direitos básicos, como a água. Ficam muitas vezes sem tomar banho e dependem constantemente da Prefeitura para realização de reparos. Aguardando ansiosa pelos hidrómetros em 2022.”

| IDNews® | Brasil | Assessoria de Imprensa | Câmara Municipal de Araraquara

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.