Parlamentar sabe que se votar contra trabalhador será cobrado

Parlamentar sabe que se votar contra trabalhador será cobrado
Líder da oposição no Senado acredita que a proposta, se aprovada, acentuará o abismo social

07JFEV2018|  11:06 - Opinião  - Foto:  © Geraldo Magela/Agência Senado

Com a retomada dos trabalhos no Legislativo, volta a ganhar força o debate sobre a reforma da Previdência no Congresso Nacional. O projeto deve ser votado ainda este mês, na Câmara Federal. Para o líder da oposição no Senado, Humberto Costa (PT), a proposta, se aprovada, acentuará o abismo social, mantendo os privilégios de diversas categorias.

“A proposta torna quase impossível a um trabalhador conseguir se aposentar integralmente. E deixa de fora outras questões como as dívidas bilionárias de grandes empresas para com o sistema previdenciário. É um projeto que não tem legitimidade, feito apenas para atender os interesses escusos de certos grupos políticos e empresarias. Quem mais precisa vai ser sacrificado”, afirmou o senador.

Para Humberto, a resistência da população à proposta é determinante. “Hoje é muito difícil um projeto como este passar no Congresso porque há uma resistência muito grande da população. Ninguém quer passar a vida trabalhando para correr o risco de não conseguir se aposentar. E os parlamentares sabem que, se votarem contra o trabalhador, serão cobrados por isso e terão que responder a essas questões em ano eleitoral”, disse.

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *