Perícia apura causas do incêndio no Museu da Língua Portuguesa

. O fogo resultou na morte do brigadista local Ronaldo Pereira da Cruz que tentava combater as chamas

As causas do incêndio de grandes proporções que atingiu, na tarde desta segunda-feira, 21, o Museu da Língua Portuguesa, na Praça da Luz, no centro de São Paulo, serão investigadas.

O fogo resultou na morte do brigadista local Ronaldo Pereira da Cruz que tentava combater as chamas. A Estação da Luz, que funciona no mesmo complexo, foi evacuada e os trens pararam de circular. De acordo com o Estadão, a área não tem o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) nem o alvará de funcionamento da Prefeitura.

A GloboNews refere que segundo funcionários, o fogo teria começado com uma troca de lâmpadas.

Incêndio

Mais de 60 viaturas e 102 homens do Corpo de Bombeiros atuaram no combate ao fogo. O capitão Marcos Palumbo, do Corpo de Bombeiros, afirmou que o incêndio teve início no primeiro andar. Por volta das 17h10, os bombeiros informaram que as chamas foram controladas e o incêndio estava em fase de rescaldo.

O Estadão refere ainda que com o temporal que alagou a região os bombeiros tinham dificuldades em combater as chamas, que se alastraram pelas vigas de madeira. Às 20 horas, ainda havia fumaça, mas o fogo estava extinto.

Estação fechada

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) decidiu, por motivo de segurança, suspender embarques, desembarques e interligações das Linhas 11-Coral e 7-Rubi. O serviço também não deve funcionar nesta terça e a companhia informou que vai esperar o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) fazer uma avaliação na Estação da Luz, antes de liberar o embarque e desembarque para os 300 mil passageiros que passam diariamente pelo local. Segundo Paulo Magalhães, presidente da estatal, os passageiros da linha férrea terão de continuar descendo nas Estações Barra Funda (Linha 7) e Brás (Linha 11) para seguir viagem. Magalhães explicou que a medida teve o aval do governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Morte e reconstrução

A publicação destaca que Alckmin esteve na área à noite e lamentou a morte do bombeiro civil no incêndio. “Quero transmitir os sentimentos ao Ronaldo Pereira da Cruz, brigadista que perdeu a vida no trabalho, tentando controlar esse incêndio, essa tragédia. Nosso integral apoio à sua família”, disse. O governador afirmou ainda que vai “imediatamente tomar todas as providências para a reconstrução (do Museu da Língua Portuguesa)”. “Vamos nos unir à iniciativa privada de novo.”

A Fundação Roberto Marinho, responsável pela concepção e instalação do museu em 2006 (ao custo de R$ 37 milhões), também lamentou a morte.

O secretário estadual da Cultura, Marcelo Mattos Araújo, destacou que o processo de restauração do museu “será o mais rápido possível”. “Mas o prédio foi muito afetado. As instalações da Praça da Língua, do auditório, tudo foi destruído.” Em nota oficial, mais tarde, a secretaria destacou que o local tem seguro contra incêndio, no valor de R$ 45 milhões.

Alvarás

O secretário municipal da Cultura, Nabil Bonduki, disse que um incêndio como o que aconteceu é “devastador para a cultura brasileira”. Mas também é “um alerta para a necessidade de ter as condições de segurança adequadas”. O complexo não tem o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) nem o alvará de funcionamento da Prefeitura.

A falta do AVCB para o prédio foi confirmada pelo comandante dos bombeiros, coronel Rogério Bernardes. Segundo ele, tudo “estava em processo de regularização”.

Da mesma forma, segundo a Prefeitura, o pedido de alvará de funcionamento do local de reunião encontra-se “em análise”. No entanto, de acordo com a administração municipal, “os atestados principais de segurança contra incêndio estão em dia”. “O museu tem laudo técnico de segurança (apresentado pelos engenheiros responsáveis técnicos) e também atestados em validade, inclusive o de brigada de incêndio”, informa. Segundo a Prefeitura, o que falta para a emissão do alvará de funcionamento é a apresentação da documentação da ID Brasil Cultura Educação e Esporte, organização responsável pelo uso.

A Secretaria disse em nota que mantém toda a segurança necessária para visitação.

Notícias em Minuto

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *