‘Poderão prender minha carne carcomida, mas não minhas ideias’, diz Lula

‘Poderão prender minha carne carcomida, mas não minhas ideias’, diz Lula
Durante ato pelo 38 aniversário do PT, o ex-presidente disse que seus adversários buscam uma forma de calá-lo

23FEV2018|  7:34 - Folhapress/Aniversário do PT  - Foto:  © Reprodução/Facebook

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva falou na hipótese de sua prisão na noite desta quinta-feira (22) durante ato pelo 38 aniversário do PT.

Com olhos cheios de lágrimas “derramadas após citar a morte de amigos e petistas”, Lula disse que seus adversários buscam uma forma de calá-lo.

“Qual é o jeito? Quem sabe, tentar me prender. E vão ter outra surpresa, porque eles poderão prender apenas a minha carne carcomida, mas não prenderão as minhas ideias.”

O ex-presidente voltou a dizer que “Lula não é um ser humano”, mas uma ideia que o PT ajudou a criar.

Lula disse também ser hoje a única unanimidade no país, porque todos os partidos tentam impedir sua candidatura. Irônico, o petista afirmou que, sem ele na disputa, até o presidente Michel Temer acredita que poderia se eleger.

Citando o instituto Datafolha, Lula afirmou que Temer desistiu da reforma previdenciária e optou pela intervenção federal no Rio para atender às pesquisas de opinião.

“Bolsonaro cunhou uma frase histórica. Ele disse ao Temer ‘Temer você já roubou de tudo neste país. Mas não vai roubar meu discurso”.”

Após lembrar a história do PT, o ex-presidente disse que “o partido não tem que ter medo o que está acontecendo com Lula”.

“É um processo. Se minha mãe fosse viva diria que é uma provação. Estamos sendo provados diante das leis divinas e dos homens para ver se a gente é capaz de resistir.”

Citando desfechos trágicos de presidentes brasileiros, Lula repetiu: “Eu não vou fugir, não vou me matar, vou ficar aqui. Quem quiser me julgar vai arcar com a responsabilidade de pagar o erro histórico cometido”.

O jogador Jefferson Reis, que espancou o gandula Tadeu Francisco no último domingo (19) durante a partida entre Operário e Comercial, pelo Campeonato do Mato Grosso do Sul, se pronunciou sobre o ocorrido. Ele, que teve contrato rescindido com o Operário na segunda (20), está arrependido e pediu perdão. "Queria mostrar que não sou esse Jeferson que estão vendo na imagem. Me arrependo muito e vou pagar por isso. Como já estou pagando", disse o atleta de 22 anos em entrevista à EPTV, afiliada da Rede Globo. Jefferson disse que Tadeu agrediu o massagista Raul, de 54 anos, e resolveu “defender” o profissional. “Perdi a cabeça porque ele agrediu um pai de família de 54 anos. Se ele fizesse o trabalho dele certinho, nada disso teria acontecido. Nosso massagista foi falar com ele, e ele o agrediu pelas costas. A briga estava rolando faz tempo. Só filmaram quando estava batendo”, afirmou. “Peço desculpa ao gandula, para a família dele. Para todo mundo que viu isso aí”, acrescentou Jefferson. “Na hora que entrei no vestiário, que tive que ir para delegacia depois, perguntei para mim mesmo: ''O que eu fiz com a minha vida'? Acabei com minha carreira". Ali meu mundo acabou. Foi quando liguei para meu pai, que só chorava. Ele sofreu muito para criar eu e meu irmão sem mãe. E acontece um negócio desse, repercussão no mundo todo. Minha família ligando, preocupada, teve ameaça, pessoas falando que iam me matar”, comentou. O gandula Tadeu Francisco teve o nariz quebrado. "Eu perdoo sim. O perdão é o melhor remédio para acabar com a mágoa no coração", disse Tadeu em entrevista ao UOL.

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *