Posse de José Renato Leite e Zamboni (SISMAR) fala sobre jornada de trabalho

Na sessão desta terça-feira 927) O sindicalista Marcos Zamboni  credenciado pelo Sindicato dos Servidores de Araraquara e Região (SISMAR) fala sobre a jornada de trabalho dos servidores municipais, afirmou que o SISMAR apresentou uma proposta para resolver esse problema de jornada de trabalho em março de 2015 e até hoje não houve interesse do executivo em responder.

Disse que há saída sim  para o impasse e convida todos os possíveis candidatos a prefeitura de Araraquara-SP., a participarem da nova proposta que será enviada à Prefeitura na próxima ter-feira (03) as 15h00.

” A gente precisa ter nervos de aço” disse ainda, porque além de Araraquara temos que atuar em mais 8 municípios.

Citou o Nome de Luciano do Coren, dizendo que seria bom que ele participasse dessa negociação, já que há um impasse com o jurídico.

  • COREN apoia luta dos servidores das UPAs

    Fiscalização será vista na cidade em breve

    O Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo (Coren), entidade que fiscaliza e disciplina o exercício profissional da enfermagem em todo o Estado, está apoiando a luta dos servidores das UPAs.
    Luciano 30 Horas, representante do Coren, esteve em Araraquara no dia 15 e participou de uma reunião promovida pelo SISMAR com servidores tanto das UPAs quanto do SAMU.
    Além de declarar apoio total ao movimento dos servidores contra o aumento da jornada de trabalho, Luciano já avisou que o Coren virá fazer fiscalização nas unidades de saúde de Araraquara, para verificar possíveis problemas de sobrecarga de trabalho e falta de funcionários em número adequado nas UPAs.
    “A enfermagem atua na promoção, prevenção, recuperação e reabilitação da saúde, com autonomia e em consonância com os preceitos éticos e legais. Não pode, portanto, estar à mercê da vontade de um médico ou de uma chefia na hora de exercer suas atividades”, dispara Luciano.
    “A população está sendo prejudicada com isso. Primeiro pelo número reduzido de profissionais que a Prefeitura mantém nas UPAs, exigindo quantidade enorme de horas-extras para poder atender a demanda. Agora, com a intenção de sobrecarregar ainda mais os profissionais, os problemas tendem a se agravar”, completa o representante do Coren.

Zamboni pede jornada de trabalho de 6 horas para os agentes administrativos de saúde e para os agentes educacionais pede que possam ser reconhecidos como cargo de  magistério de acordo com a Lei 12014 de 2009.

Afirmou que gosta de discussão construtiva e tanto ele como o SISMAR estão a disposição de todos.

Citou que tem procurador que nem parece procurados do município e sim procurador do prefeito.

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *