Prestação de contas da deputada estadual Marcia Lia (PT)

Prestação de contas da deputada estadual Marcia Lia (PT)   
Marcia Lia participa da ouvidoria da ALESP, aonde várias denúncias chegam ao seu conhecimento, assim como sugestões e demandas
16:11| 22/07/2016
Márcia Lia

Na tarde desta sexta-feira (22) nossa reportagem esteve presente no escritório de Araraquara da deputada por São Paulo  Márcia Lia, para prestação de contas do últimos 6 meses de mandato.

Vários temas foram abordados como sistema prisional que passa por vários problemas graves, com presos que deveriam estar soltos por progressão de pena, alimentação por vezes inadequadas e superlotação das celas,  abordou ainda a questão de novos formatos de núcleos familiares, envolvendo inclusive a família composta por homossexuais.

Márcia Lia participa da ouvidoria da ALESP, aonde várias denúncias chegam ao seu conhecimento, assim como sugestões e demandas, procuradora-adjunta da Procuradoria Especial da Mulher e coordenadora estadual da Frente Parlamentar Nacional Mista em Defesa dos Direitos Humanos das Mulheres.

Para Márcia Lia, “por mais que tenhamos avançado no empoderamento  de nossa condição feminina há um fosso de desrespeito cotidiano que precisa ser diuturnamente combatido, como a vulnerabilidade a todo tipo de violência”.

A deputada fez a explanação completa sobre a atuação de um deputado estadual, mostrando que este trabalho vai muito além dos projetos de lei, ações como fiscalização do governo estadual, elaboração de requerimentos para pedidos de informações e ainda  como por exemplo um escritório para atender a população na zona leste de São Paulo, atendendo mais de 50 pessoas por dia de atuação.

Deixou claro também que alguns projetos levam mais de quatro anos para seguirem em frente, muitas vezes ultrapassando o mandato do parlamentar, correndo ainda o risco de ser vetado pelo governador do estado.

Márcia Lia dissertou de uma maneira rápida um esboço sobre a CPI da merenda escolar, afirmando que a coisa está feia e que precisa ser apurada com critério para que os envolvidos paguem por seus erros.
“A merenda escolar nas escolas estaduais inspira cuidados:
– ora pel qualidade questionável, com alimentos enlatados/processados, e bolachas e sucos substituindo as refeições; – ora como caso de polícia, envolvida num esquema de fraude ”
A afirmação é da deputada Márcia Lia que trabalha para a melhoria da qualidade da merenda escolar e pela apuração rigorosa das denúncias de fraude na compra de alimentos, envolvendo funcionários públicos estaduais e políticos.

Coordenadora da Frente Parlamentar pela Reforma Agrária, Agricultura Familiar e Segurança Alimentar, na Alesp, Márcia Lia articula entre todas as partes desde a produção, compras até a prestação de contas para remover obstáculos de impedem uma melhoria na qualidade da merenda escolar servida aos estudantes em todo o estado.

Atualmente, menos de 25% dos 645 municípios paulistas cumprem a lei federal 11.947/20019 (PNAE- Programa Nacional de Alimentação Escolar), que determina a compra de 30% dos produtos direto do campo.
O PNAE foi instituído  em 2009, pelo governo federal.
“Não tenho dúvidas de que a merenda é um tema importante no ponto de vista econômico, da segurança alimentar, mas também social e ambiental. Meu trabalho é dialogar com todas as partes para chegarmos à sonhada qualidade”.
Texto composto com trechos do jornal “Prestando Contas” da deputada Márcia Lia.

IDNews-Usa_Portal

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *