PT condena busca em sede e fala em tentativa de criminilização

PT condena busca em sede e fala em tentativa de criminilização  
Polícia Federal escalou homens do Grupo de Pronta Intervenção (GPI), um grupo de elite da corporação treinado para controlar distúrbios civis
16:41| 23/06/2016
Sede Nacional do PT

O Partido dos Trabalhadores (PT) condenou a operação de busca e apreensão da Polícia Federal em sua sede nacional, no centro de São Paulo, na manhã desta quinta-feira (23).

A Polícia Federal escalou homens do Grupo de Pronta Intervenção (GPI), um grupo de elite da corporação treinado para controlar distúrbios civis, para ajudar no cumprimento do mandado.

O partido disse que a operação foi “desnecessária” e “midiática” e ressaltou se tratar de uma “tentativa renovada de criminalizar o PT”.

Oito homens com uniformes camuflados e ostensivamente armados guardaram as entradas do prédio, enquanto outra equipe vasculhava o interior da sede do partido.

O cumprimento do mandado de busca e apreensão no PT fez parte da operação Custo Brasil, deflagrada nesta quinta. Paulo Bernardo, ex-ministro dos governos Lula e Dilma, foi preso preventivamente, entre outros.

A PF disse que o recrutamento do GPI foi para evitar confusões no local.

“Pela experiência sabemos que há riscos de tumultos e manifestações quando fazemos operações em sedes de partidos políticos”, disse Patrícia Zucca, diretora de comunicação da PF de São Paulo. Os policiais estavam com armas não letais e letais.

O GPI foi criado para atuar em situações especiais, como grandes eventos (Copa, Olimpíada e reuniões de cúpula com representantes de outros países). Seus agentes também já operaram em ocupações de favelas no Rio, por exemplo.

No meio da manhã, um grupo de militantes chegou para protestar contra a operação da PF, que, na avaliação deles, persegue o PT. Eles estenderam uma grande faixa com os dizeres: “Tchau, ladrão”, junto à imagem do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e a pergunta: “E o Temer?”.

Havia ainda outra faixa que dizia “$TF acovardado”, em referência ao Supremo Tribunal Federal, com imagens de cinco ministros -entre eles, Gilmar Mendes com um bico de tucano no lugar do nariz.

VEJA A NOTA OFICIAL DO PT

“O Partido dos Trabalhadores condena a desnecessária, midiática, busca e apreensão realizada na sede nacional de São Paulo.

Em meio à sucessão de fatos e denúncias envolvendo políticos e empresários acusados de corrupção, monta-se uma operação diversionista na tentativa renovada de criminalizar o PT.

A respeito das acusações assacadas contra filiados do partido, é preciso que lhes sejam assegurados o amplo direito de defesa e o princípio da presunção de inocência.

O PT, que nada tem a esconder, sempre esteve e está à disposição das autoridades para quaisquer esclarecimentos”.

Com informações da Folhapress.

O Partido dos Trabalhadores (PT) condenou a operação de busca e apreensão da Polícia Federal em sua sede nacional, no centro de São Paulo, na manhã desta quinta-feira (23). PUB A Polícia Federal escalou homens do Grupo de Pronta Intervenção (GPI), um grupo de elite da corporação treinado para controlar distúrbios civis, para ajudar no cumprimento do mandado. O partido disse que a operação foi "desnecessária" e "midiática" e ressaltou se tratar de uma "tentativa renovada de criminalizar o PT". Oito homens com uniformes camuflados e ostensivamente armados guardaram as entradas do prédio, enquanto outra equipe vasculhava o interior da sede do partido. O cumprimento do mandado de busca e apreensão no PT fez parte da operação Custo Brasil, deflagrada nesta quinta. Paulo Bernardo, ex-ministro dos governos Lula e Dilma, foi preso preventivamente, entre outros. A PF disse que o recrutamento do GPI foi para evitar confusões no local. "Pela experiência sabemos que há riscos de tumultos e manifestações quando fazemos operações em sedes de partidos políticos", disse Patrícia Zucca, diretora de comunicação da PF de São Paulo. Os policiais estavam com armas não letais e letais. O GPI foi criado para atuar em situações especiais, como grandes eventos (Copa, Olimpíada e reuniões de cúpula com representantes de outros países). Seus agentes também já operaram em ocupações de favelas no Rio, por exemplo. No meio da manhã, um grupo de militantes chegou para protestar contra a operação da PF, que, na avaliação deles, persegue o PT. Eles estenderam uma grande faixa com os dizeres: "Tchau, ladrão", junto à imagem do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e a pergunta: "E o Temer?". Havia ainda outra faixa que dizia "$TF acovardado", em referência ao Supremo Tribunal Federal, com imagens de cinco ministros -entre eles, Gilmar Mendes com um bico de tucano no lugar do nariz. VEJA A NOTA OFICIAL DO PT "O Partido dos Trabalhadores condena a desnecessária, midiática, busca e apreensão realizada na sede nacional de São Paulo. Em meio à sucessão de fatos e denúncias envolvendo políticos e empresários acusados de corrupção, monta-se uma operação diversionista na tentativa renovada de criminalizar o PT. A respeito das acusações assacadas contra filiados do partido, é preciso que lhes sejam assegurados o amplo direito de defesa e o princípio da presunção de inocência. O PT, que nada tem a esconder, sempre esteve e está à disposição das autoridades para quaisquer esclarecimentos". Com informações da Folhapress.

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *