Relator do impeachment nega que vá arbitrar jogo entre Dilma e Cunha

Relator do impeachment nega que vá arbitrar jogo entre Dilma e Cunha, processo de impeachment é baseado, principalmente, na recomendação pelo Tribunal de Contas da União da rejeição das contas de Dilma relativas a 2014

Eleito relator do pedido de impeachment contra Dilma Rousseff, o deputado Jovair Arantes (PTB-GO) afirmou que não vai fazer do processo um jogo de futebol entre a presidente e o presidente da Câmara, de Eduardo Cunha, de quem é um dos principais defensores do mandato e da permanência do parlamentar

Em entrevista à Folha de S. Paulo, o deputado goiano disse não se sentir impedido ou constrangido pela proximidade com o peemedebista. “Eu não quero entrar na discussão e botar aqui uma espécie de jogo de futebol, Dilma versus Cunha, não estou aqui para isso. Eu estou aqui para discutir, relatar, e, se possível, dentro da competência que Deus vai nos dar, fazer um relatório que possa ser importante para o Brasil.”

Jovair não respondeu diretamente se irá usar em relação à petista o mesmo critério que defende para Cunha, o de que um afastamento só pode ocorrer em caso de condenação definitiva, sem possibilidade de recurso. Ele disse que, assim como é próximo de Cunha, também é próximo a Dilma.

O processo de impeachment é baseado, principalmente, na recomendação pelo Tribunal de Contas da União da rejeição das contas de Dilma relativas a 2014.

Eduardo Cunha acrescentou à denúncia, nesta quinta, a delação do ex-líder do governo no Senado Delcídio do Amaral, que acusa Dilma e Lula de envolvimento no petrolão.

Jovair é líder de uma bancada dividida sobre o apoio ou não ao governo. Recentemente, ele e os petebistas se reuniram com Dilma no Palácio do Planalto.

Noticias

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor - Câmera -

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor - Câmera -

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *