Saúde apresenta despesas de R$ 120,8 mi no segundo quadrimestre

Município arca com 63,1% dos gastos; maior parte vai para a Assistência Básica

A Secretaria Municipal da Saúde gastou R$ 120,8 milhões no segundo quadrimestre de 2015 com os diversos programas da área. Desse total, 63,1% saíram dos cofres municipais, 31,1% vieram do Governo Federal e 0,7% foi repassado pelo Estado. Os números foram apresentados durante audiência pública de Prestação de Contas da Saúde do 2º Quadrimestre de 2015 realizada na tarde de quarta-feira, 4 de novembro, no plenário da Câmara. O presidente do Legislativo, vereador Elias Chediek, coordenou os trabalhos ao lado do presidente da Comissão de Tributação, Finanças e Orçamento, vereador Donizete Simioni (PT). Também participaram da audiência os vereadores Edio Lopes (PT) e Jéferson Yashuda (PSDB), além de servidores municipais de diversos setores da Secretaria da Saúde.

Norma Tositto, gerente de Planejamento da pasta, e Giuliano Ferreira, gerente orçamentário, detalharam a execução orçamentária dos programas de maio a agosto deste ano. A maior parte dos recursos foi destinada para a Assistência Básica (R$ 67,7 mi), seguida pela Assistência Hospitalar e Ambulatorial (R$ 44,8 mi). O restante foi para Benefícios aos Funcionários (R$ 5,2 mi), Vigilância em Saúde (R$ 1,9 mi) e Administração (R$ 1,2 mi). Após a explanação de cada coordenadoria e gerência da área, o secretário Carlos Fernando Camargo respondeu aos questionamentos dos presentes.

Dentro da Coordenadoria Executiva de Atenção Básica, as 10 unidades sem o Estratégia de Saúde da Família (ESF) cobrem uma população de 135,5 mil pessoas. O Programa de Saúde da Família possui 29 equipes em 22 unidades e atendem 27,3 mil famílias – total de 79,2 mil pessoas cadastradas.

Na área da Saúde Bucal foram feitos no período 31,2 mil atendimentos pelas equipes do ESF entre ações coletivas, consultas e outros procedimentos; e 21,9 mil nas unidades básicas e escolares. O Centro de Especialidades Odontológicas realizou 5 mil consultas e 12,9 mil procedimentos, além de 978 próteses dentárias. A UPA Central atendeu 1,8 mil pacientes em consultas e 2,1 mil em procedimentos.

O Pronto Atendimento no município registrou 43,4 mil atendimentos na UPA Central e 19,3 mil na UPA da Vila Xavier, média de 355 por dia na primeira e 212 na segunda. O número de procedimentos foi de 175,9 mil na Central e 106,6 mil na Vila. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) recebeu de maio a agosto 27,7 mil chamadas e realizou 22 mil atendimentos.

O Centro de Atenção Psicossocial (Caps) fez 2,7 mil atendimentos. O Caps-AD (Álcool e Drogas) acompanhou 1,3 mil usuários, sendo 148 em tratamento intensivo, 38 em não-intensivo e 1.158 em semi-intensivo.

No quadrimestre, a Santa Casa foi responsável por 764 cirurgias eletivas e 1.531 procedimentos de urgência, com custo total de R$ 4,7 mi. Passaram pela Casa Cairbar Schutel 307 pacientes psiquiátricos. Entre Clínica Geral (88), Pediatria (67) e Obstetrícia (874), a Fungota executou 1.029 atendimentos, ao custo de R$ 735 mil.

Na Vigilância em Saúde, o Programa Municipal de Controle a Dengue visitou nesses quatro meses 82,6 mil imóveis. A Gerência do Programa DST/Aids registra 804 pacientes soropositivos em acompanhamento pelo Sesa-Sae.

Luis A. Zakaib

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *