Selma Blair diz que foi estuprada e recorda passado com o álcool

 


Atriz abriu o coração para falar da sua marcante história


No livro ‘Mean Baby’, Selma Blair compartilha marcantes recordações do passado na esperança de conseguir ajudar outras pessoas com situações semelhantes.

Na adolescência, diz, viveu um momento perturbador de assédio com um dos reitores do colégio onde estudou. “Contei-lhe tudo sobre mim. Não podia acreditar na minha sorte em ter um mentor e amigo tão maravilhoso”, lembrou. 

“Achava que ele era o melhor homem que já tinha conhecido. Bonito, alto, generoso. […] Mas naquele momento não podia ter previsto. Confiava na autoridade. Era apenas uma adolescente”, acrescentou, recordando que foi um dia antes das férias quando se deslocou ao escritório do reitor para se despedir do mesmo e trocaram presentes.

“Abraçamo-nos. […] A mão dele foi para a parte inferior das minhas costas. Os seus lábios estavam na minha boca. […] Pensava, é um adulto e eu gosto de você, mas por favor, não coloque a tua mão dentro das minhas calças. Mas ele colocou. Foi uma coisa simples. Não me estuprou, não me ameaçou. Mas quebrou-me”, detalhou.

Quando contei à minha mãe que ele tinha me beijado, ela respirou fundo e disse para eu não contar a ninguém porque ele era amado naquela escola. E que eu ia ser apenas uma garota problemática“, partilhou.

No final do seu último ano na escola, recorda, o referido reitor foi dar-lhe os parabéns e disse à mãe da atriz que ela deveria estar orgulhosa. “Ela apenas olhou para ele e disse-lhe: ‘Sei o que fez. Fique longe da minha filha’. E ele foi embora“, disse Selma Blair.

“Não sei se teria sobrevivido à infância sem o álcool”

Na mesma obra, a atriz revela que a sua primeira bebedeira aconteceu quando tinha apenas sete anos. “Não sei se teria sobrevivido à infância sem o álcool“, desabafou. “É por isso que é um problema para muitas pessoas. É realmente um grande conforto, um alívio no início”, confessou.

A primeira vez que fiquei bêbada foi uma revelação“, lembrou, contando depois que ninguém “estava atento ao que estava consumindo”. Além disso, detalhou que, inicialmente, “dava goles rápidos quando ficava mais ansiosa” e que “mal ficava embriagada”. “Tornei-me numa alcoólatra experimente, uma ‘profissional’ escondendo o meu segredo“, afirmou, referindo que o problema com o álcool ficou ‘mais obscuro’ na adolescência e aos 20 anos.

Não sei se os dois me estupraram, mas um deles sei que o fez, definitivamente

Outro dos episódios marcantes que a atriz conta no livro leva-a a uma viagem de férias da faculdade, quando foi estuprada após um dia de bebedeira.

Não sei se os dois me estupraram, mas um deles sei que o fez, definitivamente“, escreveu. “Fiquei quieta à espera que acabasse. Gostava de poder dizer que o que aconteceu comigo naquela noite foi algo fora do normal, mas não foi. Fui estuprada várias vezes porque estava muito alcoolizada para dizer ‘por favor, pare’. Só que houve uma vez que foi violento. Saí calada e envergonhada“, compartilhou.

A atriz – que foi diagnosticada com esclerose múltipla em 2018 – diz que além de ter contado à terapeuta, nunca tinha falado sobre o seu passado.

| IDNews® |Via NMBR |Brasil|

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.