Shopping Jaraguá comemora Dia Internacional da Mulher com serviços gratuitos e workshops

Shopping Jaraguá comemora Dia Internacional da Mulher com serviços gratuitos e workshops
Ao longo do dia 8 de março, quando data é comemorada, mulheres cuidarão da beleza e saúde e discutirão empoderamento feminino

06MAR2018|  8:27 - Assessoria de Imprensa  

O Dia Internacional da Mulher estará repleto de atividades inteiramente gratuitas para as nossas clientes. Preparamos momentos que tratam da autoestima, da saúde, da beleza e do papel da mulher na sociedade. A programação das atividades começam ás 10 horas e segue até às 21h, em um espaço especialmente preparado para elas, no corredor da loja Di Gaspi.

A programação do Dia Internacional da Mulher inclui esmaltação, Quick Massage (manobras adaptadas que proporcionam relaxamento imediato), consultoria de automaquiagem para o dia e noite, estética facial, spa dos pés, testes de glicemia e aferição de preção arterial. Já os workshops trazem temas como “Mulher ativa, saudável e feliz”, “Empoderamento feminino: o que te impede de ter uma vida melhor?” e “Imagem pessoal e identificação de estilo”.

Entre os parceiros deste evento estão o Senac, Wicky Salão SPA, Uniara, além das profissionais Laura Simões (nutrição), Mariana Oliveira (personal trainer), Samantha Beatriz Dias (psicóloga) e Tatiane Braga (neurocoach).

Com 16 anos de funcionamento, o Shopping Jaraguá, empreendimento do Grupo Solpanamby, está instalado de forma estratégica em uma área de influência de 14 municípios com área de 25mil m². Conta com qualificado mix de mais de 150 lojas, espaço família, estacionamento acessível, praça de alimentação ampla e diversificada, cinco salas de cinema – das quais duas com sistema 3D, e Praça de Eventos com iluminação natural.

Shopping Jaraguá Araraquara

Local: Jaraguá Araraquara – Avenida Alberto Benassi, nº 2.270, Jardim dos Manacás.

(16) 3335 7286

www.shoppingjaragua.com.br/araraquara/

A empresa de auditoria PricewaterhourseCoopers (PwC), a empresa Kaspersky Lab, a consultora Gartner e vários especialistas consideram o problema da cibersegurança como a maior ameaça para os negócios. As empresas estão gastando milhões de dólares para se protegerem de ataques informáticos, sobretudo os bancos. Segundo um recente relatório da PwC, o que mais preocupa os investidores em todo o mundo é a escassez de medidas de segurança informática nas empresas. Deles, 41% acreditam que os ciberataques são uma grande ameaça. A Kaspersky Lab, empresa russa de segurança cibernética, alertou que as pequenas e médias empresas sofrem 43% desses ataques cibernéticos, uma percentagem que coloca essas empresas na mira dos hackers. De acordo com um estudo da Gartner, em 2018 as empresas gastarão 96,3 bilhões de dólares (R$ 313 bilhões) para proteger-se desse tipo de ataques – um aumento de 8% em comparação com 2017. É de sublinhar que durante muito tempo os investimentos na segurança informática foram mantidos a um nível mínimo necessário para cumprir a legislação. Entretanto, nos últimos três anos tem sido observada uma tendência de investir mais na cibersegurança, explicou Mikhail Lapin, diretor de projetos da empresa Bell Integrator. + Em que período do dia você deve evitar as redes sociais? Entre os ciberataques mais graves, Lapin lembrou o roubo, no fim de janeiro, de 530 milhões de dólares [R$ 1,24 bilhões] em criptomoedas na bolsa de moedas digitais Coincheck, uma das mais importantes casas de câmbio virtuais. Todo o dinheiro no mundo Nos próximos três ou cinco anos, veremos um crescimento notável das despesas destinadas a aumentar a segurança da informação. Trata-se de um aumento entre 4% e 8% anuais, informou Lapin. Mas nem todos os problemas podem ser resolvidos através de dinheiro. Para se protegerem, as empresas terão de inculcar a cultura dos dados pessoais para evitar a divulgação de informações ou dados confidenciais a terceiros. A Gartner prevê que, até 2020, mais de 60% das corporações vão investir grandes quantidades de dinheiro em ferramentas de segurança da informação. Trata-se de evitar a perda de dados, criptografá-los e auditá-los. Agora a cifra é de 35%. Entretanto, uma das outras principais ameaças não é tanto que aumente o número de ataques informáticos e vazamento de dados, mas que aumente o custo da aplicação de medidas de segurança que não funcionam. E os especialistas insistem: sua eficácia é limitada. Por essa mesma razão, a busca de outros tipos de soluções mais baratas é algo que se torna a tarefa mais importante para as empresas privadas. Com informações do Sputnik Brasil.

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *