Tesoureiro de Dilma-Temer pediu R$ 30 mi por caixa dois, diz delator

Tesoureiro de Dilma-Temer pediu R$ 30 mi por caixa dois, diz delator
Edinho Silva se defende: ‘Essa é uma tese para criminalizar a campanha da Presidenta Dilma’

 07MAR2017| 9:15
 TSE

O ex-ministro e tesoureiro da campanha da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) em 2014, Edinho Silva, foi apontado pelo ex-diretor da Odebrecht Alexandrino Alencar por ter sugerido que a empreiteira doasse R$ 30 milhões por meio de caixa dois para a chapa Dilma-Temer. O dinheiro teria sido usado para pagar pelo apoio de partidos da coligação “Com a Força do Povo”.

Alencar disse ainda que foi Edinho quem sugeriu que a doação fosse feita por meio de caixa dois.

O ex-executivo foi apontado como o funcionário da empreiteira mais próximo ao PT e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele relatou o esquema de compra de aliados para aumentar o tempo de televisão da coligação.

O jornal “Folha de S. Paulo” entrou em contato com Edinho, que negou irregularidades. “Essa é uma tese para criminalizar a campanha da Presidenta Dilma. Todas as coligações são ideológicas, as da campanha Dilma são compra de tempo? Absurdo. Nunca pedi doações que não fossem legais”, afirmou.

Por que pediria doações para partidos que não fossem legais? Qual a diferença isso faz para a campanha Dilma? Uma acusação mentirosa que não ficará ‘em pé’ como a Andrade Gutierrez, que se mostrou mentirosa.”

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *