Vereadores acompanham Prestação de Contas da Prefeitura

Vereadores acompanham Prestação de Contas da Prefeitura

O secretário municipal da Fazenda, Roberto Pereira, apresentou a situação das finanças públicas no encerramento do ano passado

Os vereadores Elias Chediek (PMDB), Jair Martineli (PMDB), Farmacêutico Jéferson Yashuda (PSDB), Donizete Simioni (PT), Rodrigo Buchechinha (SD), além do parlamentar licenciado e secretário municipal de Governo, Comunicação e Esportes e Lazer Aluisio Braz, o Boi (PMDB), acompanharam na tarde de sexta-feira (26/2) a audiência pública de Prestação de Contas da Prefeitura referente ao 3º Quadrimestre de 2015, realizada no plenário da Câmara e conduzida pelo presidente do Legislativo.

O secretário municipal da Fazenda, Roberto Pereira, apresentou a situação das finanças públicas no encerramento do ano passado. Outros secretários municipais e servidores públicos participaram da audiência, que contou ainda com a explanação da Fundação de Arte e Cultura do Município de Araraquara (Fundart), Fundação de Amparo ao Esporte (Fundesport), Fundação Irene Siqueira Alves “Vovó Mocinha” – Maternidade Gota de Leite (Fungota), Departamento Autônomo de Água e Esgotos (Daae) e da Câmara Municipal.

Segundo Pereira, a avaliação é positiva, pois a partir das medidas adotadas pela Prefeitura em 2014, tendo em vista a recessão econômica que já se apresentava naquela época e se concretizou em 2015, Araraquara obteve resultados de retomada do equilíbrio financeiro, que permitiu projetar condições para um bom desempenho neste ano de 2016.

De acordo com os dados apresentados, a Prefeitura encerrou 2015 com receita realizada de mais de R$ 575 milhões, com saldo em caixa de R$ 21 milhões, superávit de R$ 28 milhões e restos a pagar de cerca de R$ 80 milhões. Em comparação com o encerramento do ano de 2014, o município conseguiu reduzir os restos em aproximadamente R$ 92 milhões, resultando no demonstrativo financeiro de R$ 59 milhões em débito.

Entre as medidas adotadas pelo município estão a devolução de automóveis e imóveis alugados, redução com telefonias fixa e móvel, economia de insumos, redução de horas-extras, intensificada ainda mais após a jornada de 6h adotada pela Prefeitura, e a criação do Comitê de Gestão Fiscal, que permite um controle melhor dos gastos.

Ainda pelos dados apresentados, no 3º quadrimestre foram aplicados em Saúde 30,52% do orçamento, ultrapassando em 15,52% o mínimo legal exigido, e 30,20% em Educação, 5,20% a mais do que exige a Constituição.

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *