Crivella é acusado de receber propina em caixa dois na Lava Jato

Crivella é acusado de receber propina em caixa dois na Lava Jato
 Candidato à prefeitura do Rio teria pedido ajuda financeira à Petrobras durante a sua campanha ao Senado em 2010

8.34| 23out2016
Marcelo Crivella

O candidato a prefeito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella está prestes a ver o seu nome envolvido no escândalo da Lava Jato.

 É que de acordo com a coluna do jornalista Lauro Jardim, publicada neste domingo (23) no jornal O Globo, o ex-diretor de Serviços da Petrobras, Renato Duque, negocia uma delação premiada com o Ministério Público Federal e já adiantou acontecimentos que envolvem o bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus na Operação Lava Jato.

De acordo com o material que chegou ao MPF, Crivella (PRB) procurou Graça Foster em 2010, durante a campanha dele ao Senado, e pediu a ex-diretora de Óleo e Gás da Petrobras uma ajuda financeira. Graça, por sua vez, encaminhou a questão a Renato Duque.

Depois disso, João Vaccari, que era tesoureiro do Partido dos Trabalhadores, entrou em cena e, de acordo com Duque, acionou Carlos Cortegoso, conhecido como Carlão, dono das gráficas Focal e CRLS. Essas gráficas, aliás, são as mesmas investigadas na ação do TSE que pode cassar a chapa Dilma e Temer.

A sequência da delação aponta que foram impressas 100 mil placas para a campanha de Crivella ao Senado, com gasto estimado em R$ 12 milhões. Segundo as informações do MPF, Duque disse que o serviço – não declarado nos gastos da campanha do agora candidato à prefeitura do Rio, foi descontado do dinheiro desviado da Petrobras.

A assessoria de Marcelo Crivella nega.

noticias

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *