Estudante é assaltado e baleado na saída da escola no Rio

Estudante é assaltado e baleado na saída da escola no Rio
Vítima foi socorrida pela diretora do colégio

27FEV2018|  10:04 - São Gonçalo/RJ  - Foto:  © Reuters

Um estudante de 16 anos foi baleado durante uma tentativa de assalto logo após sair da escola em que estuda, em São gonçalo, no Rio de Janeiro. Mesmo sem reagir à abordagem dos suspeitos, que estavam de moto, ele foi vítima de disparos enquanto conversava com um amigo em uma praça nas imediações do Colégio Estadual Walter Orlandini, localizado no bairro Paraíso.

Os tiros acertaram o ombro da vítima, segundo informações do jornal O Dia. Os assaltantes teriam levado apenas o celular e os documentos do adolescente. O amigo do estudante conseguiu escapar.

O caso foi registrado na 73ª Delegacia de Polícia (Neves). Conforme relata o o 7º Batalhão da Polícia Militar (São Gonçalo), o estudante foi socorrido pela diretora do colégio, que providenciou o seu deslocamento para o pronto socorro. A vítima deu entrada na unidade hospitalar consciente e apresenta quadro de saúde estável.

O jogador Jefferson Reis, que espancou o gandula Tadeu Francisco no último domingo (19) durante a partida entre Operário e Comercial, pelo Campeonato do Mato Grosso do Sul, se pronunciou sobre o ocorrido. Ele, que teve contrato rescindido com o Operário na segunda (20), está arrependido e pediu perdão. "Queria mostrar que não sou esse Jeferson que estão vendo na imagem. Me arrependo muito e vou pagar por isso. Como já estou pagando", disse o atleta de 22 anos em entrevista à EPTV, afiliada da Rede Globo. Jefferson disse que Tadeu agrediu o massagista Raul, de 54 anos, e resolveu “defender” o profissional. “Perdi a cabeça porque ele agrediu um pai de família de 54 anos. Se ele fizesse o trabalho dele certinho, nada disso teria acontecido. Nosso massagista foi falar com ele, e ele o agrediu pelas costas. A briga estava rolando faz tempo. Só filmaram quando estava batendo”, afirmou. “Peço desculpa ao gandula, para a família dele. Para todo mundo que viu isso aí”, acrescentou Jefferson. “Na hora que entrei no vestiário, que tive que ir para delegacia depois, perguntei para mim mesmo: ''O que eu fiz com a minha vida'? Acabei com minha carreira". Ali meu mundo acabou. Foi quando liguei para meu pai, que só chorava. Ele sofreu muito para criar eu e meu irmão sem mãe. E acontece um negócio desse, repercussão no mundo todo. Minha família ligando, preocupada, teve ameaça, pessoas falando que iam me matar”, comentou. O gandula Tadeu Francisco teve o nariz quebrado. "Eu perdoo sim. O perdão é o melhor remédio para acabar com a mágoa no coração", disse Tadeu em entrevista ao UOL.

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *