Vereadora pede atenção para o Dia da Cardiopatia Congênita

Vereadora pede atenção para o Dia da Cardiopatia Congênita
Vereadora foi procurada por voluntária para abordar tema na Tribuna da Câmara

30MAI2017| 8h03 - IMPRENSA CAM

O exame “Teste do Coraçãozinho” é realizado, atualmente, em todos os bebês recém-nascidos na Maternidade Gota de Leite, em Araraquara. A vereadora Juliana Damus (PP), que sempre lutou pela causa, encaminhou, em 2013, uma indicação ao Executivo, solicitando que o exame fosse disponibilizado em toda rede de saúde pública da cidade.

A vereadora também é autora da lei de 2011, pensada em conjunto com a ONG Pequenos Corações, que instituiu o Dia Municipal de Conscientização da Cardiopatia Congênita, na cidade, estabelecido para 12 de junho. Com o objetivo de contribuir com ações para lembrar a data, a vereadora reuniu-se na última semana com a funcionária pública Taisa Ferreira Rodrigues, que há anos trabalha como voluntária junto de um grupo de mães que discute a doença e os exames que a detectam. Ela também pretende abordar o tema na Tribuna da Câmara.

“Depois que Taisa me procurou solicitando dados sobre o exame do ‘Teste do Coraçãozinho’ na rede pública, encaminhei o pedido à Prefeitura por meio de requerimento. Eles confirmaram que todos os bebês nascidos no hospital passam pelo exame. Ficamos satisfeitos em saber como é feito todo o procedimento, inclusive, quando o recém-nascido tem detectada a doença. Lá ele e a mãe têm toda a assistência”, explicou Juliana. Ela verificará com o Município quais as ações que poderão ser realizadas junto às mães atendidas na rede pública.

Segundo Taisa, “de forma voluntária, realizaremos uma atividade junto às futuras mães atendidas na ONG Bebê a Bordo. Enquanto cidadã, também farei uma participação na Tribuna Popular para discutir a importância do dia 12 no município”, afirmou.

Dados

De acordo com a diretoria hospitalar da Fungota/Gota de Leite, o Teste do Coraçãozinho é rigorosamente realizado, assim como os testes da Linguinha, dos Olhinhos e da Orelhinha. O Teste da Orelhinha, inclusive, é uma lei de 2002, de autoria da vereadora Juliana Damus. A quantidade de exames varia de acordo com a demanda de nascimentos da maternidade, sem exceções, variando de 160 a 250 partos por mês. Os referidos testes são realizados logo nas primeiras horas após o nascimento.

Além disso, se alguma alteração é detectada, o recém-nascido permanece em observação por um tempo maior, e medidas técnicas são tomadas. Os exames necessários são realizados na própria maternidade Gota de Leite. Depois disso, caso seja confirmada a patologia ou se for fisiológica, a criança será acompanhada pelo ambulatório na Rede de Saúde e, se houver necessidade de uma intervenção cirúrgica, a paciente é encaminhada ao Hospital de Referência, o HC de Ribeirão Preto e/ou ao HB de São José do Rio Preto, pelo sistema de emergência do Centro de Regulamentação de Ofertas de Serviços de Saúde do Estado de São Paulo (CROSS).

A Cardiopatia Congênita

A cardiopatia congênita é uma doença na qual a pessoa sofre de uma anormalidade na estrutura ou na função do coração que, mesmo estando presente desde o nascimento, pode ser descoberta muito mais tarde. Por esse motivo, por meio da conscientização, torna-se mais fácil buscar o diagnóstico e o tratamento precoce para corrigir tais defeitos, podendo-se realizar desde uma intervenção intrauterina, quando a doença é diagnosticada na gravidez, até a cirurgia ou o uso de medicações específicas.

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *