Centrão discute alianças estaduais, vice e campanha com Ciro 

Centrão discute alianças estaduais, vice e campanha com Ciro
   A cúpula fez uma sabatina com o pré-candidato à Presidência, e definirá quem dará apoio à Alckmin na disputa

13:15|FOLHAPRESS |2018JUL16| -

A cúpula do chamado centrão – bloco cujo núcleo duro é formado por DEM, PP, SD e PRB – sabatinou no sábado (14) o pré-candidato do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes (CE), e terá conversas individuais neste fim de semana com o presidenciável tucano, Geraldo Alckmin (SP), para definir quem apoiará na disputa pelo Palácio do Planalto.

A ideia é tomar uma decisão até quinta-feira (19), véspera do início das convenções partidárias que definirão os rumos das legendas na eleição.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e os presidentes do DEM, ACM Neto, do PP, Ciro Nogueira, do Solidariedade, Paulinho da Força, e do PRB, Marcos Pereira, reuniram-se em São Paulo na casa do empresário Benjamin Steinbruch, filiado ao PP.

Integrantes do grupo ponderaram que com Alckmin, a conversa flui mais automaticamente, mas que com Ciro, apesar do discurso sedutor, é preciso esmiuçar pontos de divergência. O pré-candidato, por exemplo, é crítico da reforma trabalhista, aprovada com apoio dos partidos do bloco.

No encontro deste sábado, os líderes do centrão foram mais objetivos ao discutir questões como alianças nos estados, condições de campanha e postos como a presidência da Câmara, cargo que Maia quer ocupar pela terceira vez. Maia, Nogueira e Paulinho defendem apoio a Ciro, enquanto Marcos Pereira e Neto ainda querem fazer mais análises antes de bater o martelo.

O grupo ainda tenta atrair o PR, partido que, sozinho tem cerca de 45 segundos de tempo de TV. O bloco, sem o PR, tem 2 minutos e 11 segundos. Por isso há um grande esforço para trazer o partido de Valdemar Costa Neto. A preferência dele terá grande influência na hora de se bater o martelo sobre que candidato apoiar.

Sozinho, Alckmin tem 1 minuto e 11 segundos de TV. Se confirmada a aliança com PSD, PTB, PV e PPS, o tucano chega a 2 minutos e 53 segundos. Com o tempo do blocão, chegaria a 5 minutos e 4 segundos ou até a 5 minutos e 49 segundos, caso o PR entre na campanha.

Ciro tem hoje, sozinho, 25 segundos. Se fechar aliança com o PSB, vai a 1 minuto e 10 segundos. Com o blocão, vai a 3 minutos e 21 segundos, podendo chegar a 4 minutos e 6 segundos se o PR aderir ao grupo.

O PSC (17 segundos) pode integrar oficialmente o centrão nos próximos dias. O PHS (7 segundos) participou de uma reunião do grupo na quarta-feira (11) e também pode engrossar o bloco que quer crescer para aumentar seu poder de barganha.

A título de comparação, o PT, sozinho, tem 1 minuto e 27 segundos. O MDB tem 1 minuto e 26 segundos. O encontro deste sábado serviu também para se discutir opções de nomes para ocupar o posto de candidato a vice-presidente. Se o candidato apoiado for Ciro Gomes, o PR entrar no grupo e o PSB fechar aliança com o PDT, as possibilidades de vice aventadas na reunião são Márcio Lacerda (PSB), Josué Alencar (PR) e Benjamin Steinbruch (PP).

Se decidirem apoiar Alckmin, os integrantes do grupo consideram para vice Josué Alencar (PR), Mendonça Filho (DEM), Aldo Rebelo (SD) e um nome do Nordeste a ser definido pelo PP.

Antes de se reunirem na quinta-feira para, finalmente, definir o apoio, o grupo se encontra com Valdemar na quarta-feira (18) para saber qual a decisão dele sobre o destino do PR, já que há grande pressão da bancada para que a sigla apoie a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL-RJ).

O encontro aconteceria no início da semana, mas Rodrigo Maia vai ao Chile para não ter que assumir o Palácio do Planalto, pois o presidente Michel Temer estará fora do país em viagem oficial.

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor - Câmera -

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor - Câmera -

Um comentário em “Centrão discute alianças estaduais, vice e campanha com Ciro 

  • 17 de julho de 2018 em 14:21
    Permalink

    Eu acho que o centrão deve fechar com o Alckmin, não tem porque ser outro. Alckmin tem mais capacidade política e competência para crescer nas pesquisa que os demais.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *