Para Moro, Cunha queria provocar intervenção de Temer a seu favor

Para Moro, Cunha queria provocar intervenção de Temer a seu favor
Ainda segundo o magistrado, não há evidências de que o presidente tenha cedido à tentativa

30MAR2017| 15:22 – Bruna F. Rodrigues  - Lava Jato

Durante a sentença de condenação do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) a 15 anos e quatro meses de prisão, o juiz federal Sérgio Moro disse que as perguntas enviadas pelo réu ao presidente Michel Temer tinham unicamente o objetivo de constranger e provocar “alguma espécie de intervenção indevida da parte dele em favor do preso, o que não ocorreu”.

Moro faz questão de enfatizar que não há “qualquer registro de que o Presidente da República tenha cedido a essa tentativa de intimidação”.

O juiz da Lava Jato considera que a “tentativa de utilização do processo judicial para constranger e chantagear autoridade públicas reforça a necessidade da manutenção” do ex-deputado na prisão.

Moro aproveitou a deixa para se defender da acusação sobre o exagero do uso de prisão preventiva por longos períodos pela Lava Jato. Agora são sete nesta situação.

O magistrado considera que ainda é necessário atenção em relação à prática de novos crimes de lavagem de dinheiro pelo ex-deputado. Para Moro, “não houve ainda identificação completa de todos os possíveis crimes do condenado Eduardo Cosentino da Cunha, nem de todo o seu patrimônio”.

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.