Furacões no Atlântico Previsões apontam para uma temporada muito ativa

As previsões referentes à temporada que se inicia em junho ficam acima da média dos últimos 30 anos.


Os meteorologistas federais norte-americanos estão prevendo que a próxima temporada de furacões no Atlântico, que tem início em 1 de junho, será particularmente atribulada, noticia a Associated Press.

A Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA) previu, nesta terça-feira, que o verão no Atlântico irá produzir entre 14 a 21 tempestades ‘nomeadas’. Das mesmas, entre seis a 10 se transformarão em furacões, sendo que entre três e seis serão mesmos grandes furacões com ventos superiores a 177 quilômetros por hora (110 milhas por hora).

Estas previsões estão acima da média dos últimos 30 anos, que engloba 14 tempestades ‘nomeadas’, sete furacões e três grandes furacões. Nos últimos dois anos, os números foram bem mais elevados: 30 tempestades ‘nomeadas’ em 2020 e outras 21 no ano passado. E só nos últimos cinco anos registaram-se mais furacões de categoria 4 e 5 nos Estados Unidos da América do que na globalidade dos 50 anos anteriores.

A NOAA revelou ainda que existem 65% de hipóteses para uma época de furacões com números “acima do normal”, 25% de hipóteses para a ocorrência de uma temporada normal e apenas 10% de possibilidade no que toca a uma invulgarmente calma.

Vários peritos no tema, externos à referida entidade, concordam que as condições atlânticas existentes dão indicações de que esta temporada de furacões será, uma vez mais, ativa.

Já na semana passada, o presidente do país, Joe Biden, tinha avisado que mais uma “dura temporada de furacões” se aproxima a passos largos.

| IDNews® |Via NMBR |Brasil|

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.