Rebeca Andrade termina em 5º na final do solo nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Rebeca Andrade termina em 5º na final do solo nos Jogos Olímpicos de Tóquio

“Estou muito feliz com todas as apresentações que eu fiz desde o primeiro dia”, disse a atleta


A espetacular participação da ginasta Rebeca Andrade nos Jogos Olímpicos de Tóquio terminou nesta segunda-feira com um quinto lugar na final do solo. Ao contrário das suas outras ótimas apresentações no Japão que lhe renderam um ouro e uma prata no salto e no individual geral, respectivamente, nesta segunda-feira a brasileira não esteve tão bem e ficou de fora do pódio.

Mas, o que ela já tinha feito anteriormente nesta Olimpíada ficou para a história. Aos 22 anos, Rebeca é a primeira mulher do Brasil a ganhar mais de uma medalha na mesma edição dos Jogos Olímpicos.

“Estou muito feliz com todas as apresentações que eu fiz desde o primeiro dia. Eu amo me apresentar no solo e ganhei duas medalhas inéditas aqui, conquistadas com muito esforço, muito suor. Não tem como não estar feliz”, disse a sorridente e carismática Rebeca, contente com seu desempenho em Tóquio.

Em sua apresentação no solo nesta segunda-feira, a ginasta mais uma vez levou o seu Baile de Favela aos jurados. Porém, logo na primeira acrobacia, aterrissou com um pé fora do tablado, o que acabou lhe um desconto em sua nota.

Depois, ela executou os movimentos de maneira sólida e segura e cravou o restante da série. Mas, em uma prova em que as adversárias beiraram a perfeição, qualquer vacilo poderia ser fatal. Assim, Rebeca ficou com a nota 14,033.

Bem abaixo da norte-americana Jade Carey, medalha de ouro com 14,366. Ela confirmou o seu favoritismo com uma bela apresentação, bem cravada.

Mesmo com a ausência da estrela norte-americana Simone Biles, que tem optado por ficar de fora de algumas finais em Tóquio para cuidar da sua saúde mental, o nível da final do solo nesta segunda-feira foi muito elevado.

A prata ficou com a italiana Vanessa Ferrari, que, após o seu solo maravilhoso, recebeu nota 14,200. Já o bronze foi dividido entre a japonesa Mai Murakami e Angelina Melnikova, do Comitê Olímpico Russo, ambas com 14.166.

Rebeca encerra a sua participação nos Jogos de Tóquio como a maior ginasta do País na atualidade. Também deixa como marca o poder de superação em uma carreira curta ainda, mas prejudicada por lesões. Ela já foi submetida a três cirurgias no ligamento cruzado anterior no joelho direito.

“Sou muito grata por essa oportunidade. Aproveitei ao máxima essa competição. Estou muito grata e feliz”, comemorou a ginasta.

| IDNews® |Estadão Conteúdo | NMBR |Brasil|

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *