Internacionais

Telas intercontinentais causa polêmica ao invés de conectar pessoas

Uma instalação artística pretende “unir” as duas cidades, mas os relatos não têm sido todos felizes. Desde situações de desrespeito até aos encontros entre familiares, saiba o que se tem passado.


Duas telas foram instaladas com o objetivo de ser uma “ponte para unir” o planeta… mas a instalação artística não parece estar servindo ao propósito. Um dos monitores foi instalado em Nova York, nos Estados Unidos, e outro em Dublin, na Irlanda, no entanto, o caos tomou conta de ambos os lados.

O objetivo dessas instalações é funcionar como um portal, onde as pessoas podem se ver continuamente, mas não ouvir – dando a impressão de que, em vez de estarem separadas por milhares de quilômetros, estão apenas a alguns centímetros de distância. As telas foram instaladas no dia 8 de maio, e desde então vários casos incomuns foram relatados.

Segundo a imprensa, poucas horas após a instalação, uma mulher “extremamente embriagada” estava batendo e se chocando contra o monitor, antes de as autoridades irlandesas a deterem. Mas ela não foi a única a desrespeitar quem está ‘do outro lado’, já que um homem também foi filmado abaixando as calças para a câmera.

Apesar do desconforto, houve outras situações ainda mais desagradáveis. Matt Shaver relatou ao New York Post que foi de Los Angeles até Nova York para se “encontrar” com a irmã, que mora em Dublin. Segundo o homem de 30 anos, outra pessoa, mostrando uma suástica, estava arruinando uma foto que os dois estavam tentando tirar. “Foi terrível”, descreveu, dizendo que não foi apenas a foto dele com a irmã que foi arruinada, mas a de todos que estavam na ‘Big Apple’.

Além disso, houve quem, do lado de Dublin, mostrasse vídeos de um dos momentos mais marcantes da história dos Estados Unidos – e do mundo -, o momento em que um dos aviões atingiu as Torres Gêmeas em setembro de 2001.

Mas mais do que uma instalação artística, a tela tem servido para muitas pessoas conhecidas se “encontrarem”, e há casos que correm bem, como o de Mackenna Vickory, cujos pais vivem em Dublin há seis anos. “Foi tão divertido conseguir vê-los. É muito emocionante. Estamos acostumados a trocar mensagens e isso parece mais real”, disse a jovem à imprensa.

O primeiro par de telas a ser instalado ocorreu há três anos na Europa, conectando Vilnius, na Lituânia, a Lublin, na Polônia.

| IDNews® |Beto Fortunato |  NMBR |Brasil|

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *