Toffoli diz que há “judicialização da política” e que, passada a eleição

Toffoli diz que há “judicialização da política” e que, passada a eleição, “é hora do Judiciário se recolher”
   Para ministro, casos como a atuação da Lava Jato, o golpe parlamentar que destituiu a presidenta eleita Dilma Rousseff (PT) e a prisão do ex-presidente Lula, levou o Supremo a se tornar “o fio condutor da estabilidade”.

8:09 | IDNews | Via Revista Forum  |

Discursando em evento organizado pelo advogado e professor Tercio Sampaio neste domingo (2) em Ilhabela (SP), o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli admitiu que há judicialização da política. “A judicialização da política ė um dado da realidade. O Judiciário se transformou como se saísse da estufa. Seu papel mudou. Suas decisões se espraiaram para além dos casos concretos e passaram a se irradiar para toda a sociedade”, disse Toffoli.

Citando casos como a atuação da Lava Jato, o golpe parlamentar que destituiu a presidenta eleita Dilma Rousseff (PT) e a prisão do ex-presidente Lula, levou o Supremo a se tornar “o fio condutor da estabilidade”. As informações são da Folha de S.Paulo.

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

O ministro disse ainda que com a eleição de Jair Bolsonaro (PSL), esse processo deve retroceder. “É hora de o Judiciário se recolher. É preciso que a política volte a liderar o desenvolvimento do país e as perspetivas de ação”.

Para Toffoli, o STF tem “de deixar de querer marcar gol”. “Vamos ser zagueiros, garantir o que está no livro. A política deve voltar a ocupar seu papel”.

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor - Câmera -

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor - Câmera -

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *