Câmara de Araraquara aprova Moção de Repúdio a cortes de verbas nas áreas de Ciência e Tecnologia

Câmara de Araraquara aprova Moção de Repúdio a cortes de verbas nas áreas de Ciência e Tecnologia
      Yashuda alerta que possíveis cortes afetam o pólo universitário de Araraquara e região

8: |IDNews| 2018AGO31  | Comunicação  Social da Câmara Municipal de Araraquara

A Câmara de Araraquara aprovou na Sessão Ordinária dessa terça-feira (28) uma Moção de Repúdio à redução de verbas para as áreas de Ciência e Tecnologia, conforme notícias recentemente divulgadas sobre a impossibilidade de manutenção do pagamento de dezenas de milhares de bolsas de pós-graduação e de financiamento à pesquisa científica pela CAPES, CNPq e FINEP, as três principais agências federais de fomento à Ciência e Tecnologia no Brasil.

De autoria do presidente da Câmara, Jéferson Yashuda Farmacêutico (PSDB), a Moção está em consonância com as deliberações da reunião ordinária realizada no dia 14 de agosto último da Congregação do Instituto de Química da UNESP/Araraquara, que alerta para o fato de que as limitações de orçamento impostas pela EC 95/2016 restringem de forma  perversa o desenvolvimento da pesquisa científica, bem como a formação de recursos humanos qualificados, essenciais para se alcançar maior desenvolvimento econômico e social no Brasil. A Congregação é presidida pelo Prof. Dr. Eduardo Maffud Cilli, diretor do IQ/UNESP de Araraquara.

O documento reivindica a adoção de ações que minimamente recomponham o cenário de apoio à ciência e tecnologia nas universidades em institutos de pesquisa nacionais, através da manutenção do orçamento do MEC e MCTIC para o ano de 2019, como previsto no Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA), que foi inicialmente aprovada no Congresso Nacional e, ainda, a recuperação dos recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, essenciais para a continuidade do fomento aos projetos de inovação e pesquisa pela FINEP.

“Os patamares de fomento à ciência e tecnologia nos últimos já são considerados insuficientes no País, e mais corte de recursos pode significar um grande retrocesso em áreas estratégicas para o Brasil, afetando diretamente Araraquara e região, que formam um importante pólo universitário, de formação de recursos humanos qualificados e de desenvolvimento de  pesquisas científicas e tecnológicas”, disse Yashuda.

A Moção de Repúdio ao corte de verbas o será remetida ao presidente da CAPES, Abílio Baeta Neves; ao presidente do CNPq, Mario Neto Borges; ao presidente da FINEP, Marcos Cintra, ao ministro da Educação (MEC), Rossieli Soares da Silva; e ao ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Gilberto Kassab.

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *