ONG diz que pedidos de abortivos mais que dobraram depois do zika

ONG diz que pedidos de abortivos mais que dobraram depois do zika     
Desde o começo do ano, a Women on Web lançou uma campanha para ajudar grávidas que tivessem sido contaminadas com o zika a interromper a gravidez
16:49| 23/06/2016
Zika

O Brasil lidera o número de pedidos de abortivos feitos à Women on Web, um coletivo internacional em favor do aborto sediado em Amsterdã, na Holanda.

A ONG publicou nesta quarta (22), no jornal científico The New England Journal of Medicine (NEJM), que os pedidos vindos do Brasil mais que dobraram depois da epidemia do vírus zika. O levantamento sugere que os pedidos pularam de 581 para 1.210.

Desde o começo do ano, a Women on Web lançou uma campanha para ajudar grávidas que tivessem sido contaminadas com o zika a interromper a gravidez, porque os bebês poderiam desenvolver a microcefalia.

A entidade afirmou que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) confiscou as pílulas enviadas ao Brasil em março porque a lei brasileira não admite aborto por dúvida quanto à saúde do feto.

Mesmo com o aumento dos números, não é comprovado que os abortos aconteceram.

Noticias

 

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *