Ronda nas áreas de lazer flagra abandono e risco aos usuários

 Ronda nas áreas de lazer flagra abandono e risco aos usuários de Araraquara

E o slogan da prefeitura de Araraquara é ” Primeiro a gente faz, depois a gente mostra”

Cenários que muitas vezes lembram filmes de apocalipse: mato alto, itens quebrados, água vazando e sujeira. Assim estão as áreas de lazer de Araraquara sobrevivendo no abandono do Poder Público e deixando a população distante desses espaços na periferia. Esse é o balanço feito pelo vereador Édio Lopes (PT), após visitas feitas nesta semana a mais de 20 áreas espalhadas pelo município. O mapeamento rendeu, ainda, um vídeo para a TV Câmara.

“Falta planejamento e uma programação para cuidar das áreas. Vamos, novamente, pedir a limpeza porque não pode piorar mais”, diz Édio Lopes, que já vinha enviando pedidos de solução ao Executivo. O parlamentar percorreu todas as regiões da cidade. No Jardim Iguatemi, campo e brinquedos estão cobertos pelo mato, além do banheiro destruído. Na área de esportes do Jardim Victório De Santi a situação é parecida: mato alto, banheiros sem condição de uso e com vazamento de água. Água, inclusive, acumulada na piscina no Melhado, abandonada ao lado de banheiros condenados.

Situação parecida com a do Jardim Roberto Selmi Dei. “Imagina chocar-se contra o que sobrou do alambrado. E só no futebol porque não há mais cestas de basquete.” Já no Esplanada o campo virou pasto para um cavalo. Destruído, o banheiro foi tomado por usuários de drogas. No Hortênsias, calçada é luxo. “Se o acesso é difícil, imagina jogar em um espaço em que o atleta titular é um cavalo jogando no time do descaso. Aqui era só terra os moradores usavam, mas a Prefeitura mexeu e destruiu o que tinha. ” Mesma cena vista no Jardim América.

Quase ao lado, outro campo de futebol e mais dos mesmos problemas: mato, manutenção deficiente, além de vestiários marcados pelo consumo de drogas.

Para Édio Lopes, o selo verde de Araraquara é a cor predominante nos Jardins Palmeiras e Santa Clara onde as traves do campo quase desaparecem. “No Jardim Veneza encontramos campo, bancos, calçada, tudo tomado pelo mato. A impressão é que por aqui, a zeladoria pendurou as chuteiras.”

Usando a mesma camuflagem natural, o campo e os brinquedos no Parque São Paulo mal podem ser vistos. No Vale do Sol e Jardim Tamoio, danos nos bancos e na iluminação, além da quadra com problemas. Filme repetido no Jardim Pinheiros. Para chegar ao campinho é preciso encarar o desafio da trilha. Mesma dificuldade no Maria Luiza e Jardim Alvorada, bairro em que a placa de ponta cabeça é símbolo de que as coisas não estão como deveriam estar.

Para o parlamentar, os flagrantes registrados nesta semana comprovam a deficiência na manutenção das áreas de esporte e lazer da cidade. “Esse é o período de férias das crianças, mas do jeito que elas estão é impossível usufruir desses espaços. No ano passado, a Prefeitura repassou esse serviço para o Daae com a justificativa que os problemas seriam sanados, mas pelo que vimos as coisas estão piores e ninguém assume qualquer responsabilidade. ”

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *