Márcia Ferreira Lucas defende lei e cadastro de pessoas com deficiência

Márcia Ferreira Lucas defende lei e cadastro de pessoas com deficiência  
Não é simplesmente um cadastro, eu identifico todos os direitos da pessoa e se ela não é atendida eu corro atrás disso
8:37| 01/07/2016
Marcia Ferreira Lucas

Um banco de dados com informações precisas e reais, sobre a pessoa com deficiência, que são fundamentais para o reconhecimento das dificuldades enfrentadas por esse público. Esse cadastro que pode mudar a vida de muita gente foi um dos temas destacados pela Márcia Ferreira Lucas, da assessoria especial de Políticas para Pessoas com Deficiência, da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e da Participação Popular, na Tribuna Popular da Câmara Municipal de Araraquara.

“Não é simplesmente um cadastro, eu identifico todos os direitos da pessoa e se ela não é atendida eu corro atrás disso”, diz Márcia que usou o espaço também para falar sobre o projeto da Prefeitura que trata do transporte coletivo urbano gratuito às pessoas portadoras de deficiência, atualizando a norma após a concessão integral das linhas do transporte coletivo urbano de Araraquara.

“Eu identifiquei que a lei da carteirinha estava com erros. A Lei Federal diz todos os tipos de deficiência”, diz Marcinha citando o exemplo de uma colega que faz fisioterapia por sete anos depois de um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e tinha os direitos negados. O Cadastro já existe há dois anos e o número de adeptos, segundo a assessora, ainda é baixo. Ela espera apoio para que esse número seja maior para que mais gente possa ser beneficiada.

IDNews-Usa_Portal

 

About Beto Fortunato
Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Beto Fortunato

Jornalista - Diretor de TV - Editor -Cinegrafista - MTB: 44493-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *